once in a hundred years

659 views

De 27 de abril a 28 de julho, o espaço Lumiar Cité apresenta a exposição once in a hundred years, a primeira colaboração entre Anya Tsyrlina, Leslie Thornton, Sid Iandovka e Thomas Zummer, que inclui um conjunto de obras históricas e outras novas. Trata-se de um projeto conjunto entre o espaço Lumiar Cité e o Kunsthalle Friart Fribourg (Suíça), onde a exposição é apresentada após a inauguração em Lisboa, com os artistas a responderem às diferentes condições históricas e arquitectónicas dos dois contextos.

Embora Sid Iandovka esteja também ligado aos campos da pintura e da música, o seu trabalho com Anya Tsyrlina está relacionado com outros suportes, como o filme e o vídeo. Leslie Thornton e Thomas Zummer são considerados pioneiros no modo como os novos media são utilizados enquanto forma de arte contemporânea. No centro dos temas comuns deste grupo invulgar de artistas está a reflexão sobre as narrativas, as novas formas de visualização, bem como a exploração dos complexos meandros da memória, do lugar e da tecnologia. Partilham um interesse por aquilo que não pode ser dito e por projetos em aberto, que evoluem e tomam múltiplas formas ao longo dos anos. Com uma turbulência disfarçada de narração, once in a hundred years conjura um conto pós-punk pré-imaginado, um “espaço de histórias” em que a narrativa se quebra em canções efémeras, numa eulogia ao presente vivo.

Anya Tsyrlina e Sid Iandovka (nascidos na antiga União Soviética e, atualmente, residentes na Suíça e nos EUA, respetivamente) conheceram-se na adolescência enquanto membros de uma banda de noise. Desde então, têm colaborado de forma intermitente, apesar de raramente se reunirem no mesmo espaço ou no mesmo continente.  A sua prática ocorre na condição de apátridas, não identificados com uma comunidade, uma identidade e um contexto específico. Da mesma forma, os seus métodos de trabalho não são o produto de instituições educativas ou profissionais e não consideram relevante encontrar um enquadramento teórico para a sua obra. Com uma sensibilidade proto-punk sem limites, incorporam e desmantelam tecnologias e formas, numa meditação peculiar sobre o ridículo e o sublime que percorrem os cantos escuros da consciência, da memória, da história e da humanidade.

Leslie Thornton (EUA) possui um corpo de trabalho que se estende por quase cinquenta anos e faz a ponte entre as práticas e as tecnologias do cinema e dos media contemporâneos. A sua obra foi apresentada em eventos, museus e outros espaços, incluindo: MoMA (Nova Iorque), MoMA PS1 (Nova Iorque), Whitney Biennial (Nova Iorque), documenta (Kassel), Centre Pompidou (Paris), Raven Row (Londres) e CAPC Musée d’art Contemporain de Bordeaux. Entre as retrospetivas do seu trabalho, destacam-se: Anthology Film Archives (Nova Iorque), Brooklyn Academy of Music (BAM) e MIT List Visual Arts Center (Cambridge, EUA). Thornton foi distinguida com inúmeros prémios e bolsas, incluindo: Maya Deren Award for Lifetime Achievement, Alpert Award in the Arts for Media, Guggenheim Fellowship e Rockefeller Fellowship. Entre as suas residências artísticas recentes, destacam-se: CERN (Meyrin, Suíça) e Caltech (Pasadena, EUA). Leslie Thornton é professora emérita da Brown University (Providence, EUA).

Thomas Zummer (EUA) trabalha como académico, escritor, artista e curador, sendo o seu trabalho inspirado pela fluidez com que atravessa as fronteiras desses domínios. Zummer estudou com Jacques Derrida, Reiner Schürmann, Paul de Man e Michel Foucault, de quem foi assistente de investigação. Entre as instituições e espaços onde apresentou o seu trabalho, destacam-se: Drawing Room (Londres), Fundació Antoni Tàpies (Barcelona), Kunsthal Extra City (Antuérpia) e WhiteBox (Nova Iorque). No campo da curadoria, destacam-se as seguintes instituições e espaços: Wexner Center for the Arts (Columbus), Thread Waxing Space (Nova Iorque), Katonah Museum of Art (Nova Iorque), Anthology Film Archives (Nova Iorque) e Palais des Beaux-Arts (Bruxelas).

Em paralelo à exposição, acontece o lançamento de uma publicação editada pelos quatro artistas, no âmbito da colaboração entre Lumiar Cité e Kunsthalle Friart Fribourg.

© Leslie Thornton, beloved, 2024. Cortesia da artista e Maumaus/Lumiar Cité.

 

 

Maumaus / Lumiar Cité é uma estrutura financiada pelo Ministério da Cultura / Direção-Geral das Artes e apoiada pela Câmara Municipal de Lisboa e pela Junta de Freguesia do Lumiar.

Lumiar Cité
Horário: Quarta a domingo, 15h-19h, ou através de marcação
Morada: Rua Tomás del Negro, 8A, 1750-105 Lisboa
Tel: + 351 217551570 | 213521155

Como chegar:
Carris: 798 paragem Rua Helena Vaz da Silva, 717 paragem Av. Carlos Paredes
Metro: Lumiar (saída Estrada da Torre)

 

Fotografia destaque: © Sid Iandovka/Leslie Thornton, twins of earth, 2024. Cortesia dos artistas e Maumaus/Lumiar Cité.

Fonte: wakeup.com.pt

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar