ATLÀNTIDA FILM FESTIVAL: PROGRAMAÇÃO COMPLETA ANUNCIADA

368 views

O festival online de cinema europeu, Atlàntida Film Festival acontece durante todo o mês de Fevereiro com estreias internacionais que marcaram as edições dos últimos grandes festivais como A Mãe de Todas as Mentiras, Asmae El Moudir, Fantastic Machine, de Axel Danielson, Maximilien Van Aertryck, o filme português Baan de Leonor Teles, entre outros.

O Atlàntida Film Festival afirma-se como um dos eventos culturais mais importantes do sul da Europa com a mostra de filmes independentes que marcaram os principais festivais europeus.
O festival internacional pretende dar a conhecer ao público uma seleção de filmes europeus que não têm estreia nas salas portuguesas.

Os filmes são produções de Espanha, Portugal, Itália, Irlanda, Ucrânia, Reino Unido, Polónia, Arménia e Suíça.

Destaque para A Mãe de Todas as Mentiras, Asmae El Moudir, vencedor do Melhor Documentário da última edição do Festival de Cannes, a realizadora marroquina Asmae El Moudir investiga os motins de Casablanca de 1981 e desvenda gradualmente uma teia de segredos familiares. Vencedor de um prémio em Cannes pelo seu ponto de vista único, o filme funde a busca pessoal de Moudir com a história marroquina, explorando a ligação entre a memória individual e colectiva através de uma viagem comovente.

Fantastic Machine, de Axel Danielson, Maximilien Van Aertryck, produzido por Ruben Östlund e premiado nos festivais de Sundance e Berlim. Desde a primeira máquina fotográfica até às 45 mil milhões de máquinas fotográficas atualmente existentes em todo o mundo, os realizadores, sociólogos visuais, alargam a sua lente para expor a obsessão única da humanidade pela imagem fotográfica e as consequências sociais que se avizinham. Polémica, risos e uma lúcida lição de história. Depois deste filme, as selfies nunca mais serão as mesmas.
O filme estreia no festival a partir do dia 15 de Fevereiro.

O festival conta ainda com o filme português Baan, a primeira longa-metragem de ficção de Leonor Teles. Entre Lisboa e Banquecoque, passado, presente – e talvez futuro – entrelaçam-se num carrossel que acelera uma juventude em tumulto. BAAN é uma experiência visual e emocionalmente envolvente, capturando a intensidade das relações e a transição para a maturidade, enquanto homenageia a rica tradição cinematográfica asiática e nos leva a refletir sobre o conceito de “casa”.
O filme estreia no festival a 22 de Fevereiro e nas salas de cinema a 8 de fevereiro.

Destaque para Creatura, de Elena Martín Gimeno, filme vencedor do Prémio Europa Cinemas para Melhor Filme na Quinzena dos Realizadores de Cannes, onde estreou. Uma obra audaciosa sobre os tabus do sexo desde a infância até à maturidade. A realizadora descreve a sua primeira longa como um filme “sobre o desejo e sobre as dificuldades culturais que nos impedem de ter uma sexualidade saudável”.

Thunder, de Carmen Jaquier, nomeado pela Suíça para os Óscares de 2024, o filme retrata uma revolução sexual. Numa pequena cidade do início do século XX, os jovens entregam-se ao prazer num despertar sexual que nunca esquecerão. Uma fábula evocativa sobre a liberdade sexual que se ergue como um apelo contra a repressão do desejo num contexto sufocado pela moral religiosa.

Nomeado para o Goya de Melhor Filme Europeu Safe Place de Juraj Lerotić. O filme sobre saúde mental mais relevante da temporada. Uma obra comovente que analisa as consequências de um suicídio numa família.

O documentário De Onde, Para Onde (In the Rearview), de Maciek Hamela conta a história de uma carrinha que, durante os piores dias da recente guerra na Ucrânia, se dedicou a salvar pessoas das hostilidades de um conflito atroz.

O filme Regresso à Razão (Return to Reason), celebra o centenário da obra cinematográfica de Man Ray. Revela o diálogo inédito entre dois artistas multidisciplinares, e compõe um objeto não identificado, uma música visual que toca com a sua modernidade e poesia. Quatro curtas-metragens oníricas, conhecidas como os primeiros filmes surrealistas, agora com uma banda sonora de Jim Jarmusch e Carter Logan (SQÜRL).

Vencedor do Méliès de Ouro para o Melhor Filme Fantástico Europeu do ano, LOLA, de Andrew Legge apresenta-se com uma premissa irresistível: o que aconteceria se, em 1941, irmãs irlandesas criassem uma máquina que interceptasse transmissões do futuro? Ouviriam música à frente do seu tempo, sim, mas talvez estivesse também nas suas mãos mudar o destino da Segunda Guerra Mundial. Um filme de culto instantâneo que marcou o cinema de género. 

O drama Vera, de Tizza Covi, Rainer Frimmel sobre Vera Gemma, uma atriz italiana cuja vida amorosa é um desastre e que está condenada a viver à sombra do pai, uma lenda do Spaghetti Western com Vera Gemma, Daniel De Palma e Asia Argento.

Fonte: Filmin

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar