SOPAS DE TOMATE

1218 views
Para 2 pessoas (em refeição de prato único)
1 lata grande de tomate (eu prefiro a Compal). Se usar tomate ao natural, escolha-o bem maduro e tire-lhe a pele, mergulhando-o um minuto em água fervente. Infelizmente, o tomate que se consome em Lisboa, é de produção intensiva e perdeu o saboroso gosto do cultivado nas hortas, ao ritmo da natureza. É “tomate de plástico”, como se ouve dizer.
2 cebolas médias a grandes, às meias rodelas
2 batatas médias, às rodelas
2 ovos
6 dentes de alho fatiados
150 g de entremeada
10 a 15 rodelas finas de linguiça alentejana (o que em lisboa chamam chouriço)
4 colheres de sopa de bom azeite
1/2 colher de sopa de folhas de orégão
Pão alentejano de dois ou mais dias, cortado em fatias finas
1 malagueta de piripiri (facultativo)
sal a gosto (sempre pouco)
Coloque o azeite num tacho e frite a entremeada e a linguiça de modo a obter o pingo para a confecção.
Retire e reserva a entremeada e a linguiça já fritas,
Junte o alho e, a seguir, a cebola e deixe-a amolecer lentamente, muito bem, vigiando sempre para que mão pegue ao fundo.
Junte o tomate à cebolada e deixe apurar bem, vigiando sempre.
Junte a água suficiente para regar bem o pão, os orégãos e deixe abrir fervura.
Acrescente as batatas e, logo que quase cozidas, escalfe os ovos.
Coloque o pão no fundo dos pratos (na quantidade a gosto) e verta sobre ele o caldo a ferver, as batatas e os ovos.
Acompanha com a fritura.
Quando há figos, colocamo-los na mesa, para que cada um se sirva à vontade.
Experimente substituir os orégãos por poejos ou por hortelã da ribeira.
Bom apetite.

António Galopim de Carvalho

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar