Algas à portuguesa na ementa da BTL

239 views

ESHTE coloca inovação, sustentabilidade e transferência de conhecimentos no turismo como temas de destaques na feira nacional de referência do setor

 

Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril (ESHTE), a maior e mais antiga escola superior de hotelaria e turismo de Portugal, vai marcar presença na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), a realizar entre 28 de fevereiro e 3 de março na Feira Internacional de Lisboa (FIL), com dois projetos que evidenciam a vitalidade e a versatilidade do ensino na instituição.

Como parte integrante da Rede de Instituições Públicas do Ensino Superior Politécnico com cursos de Turismo (RIPTUR), a ESHTE estará representada pelos docentes Gilberto Costa e Miguel Brito, a 1 de março, na Conferência da RIPTUR – Inovação e sustentabilidade no Turismo.

Gilberto Costa irá apresentar o e-book ‘Algas à portuguesa’, uma compilação de receitas de inspiração portuguesa reinventadas com algas da costa. Demonstrando uma assinalável polivalência gastronómica e um compromisso firme com a sustentabilidade, alunos da Licenciatura de Produção Alimentar em Restauração da ESHTE desenvolveram receitas que incorporam algas marinhas em pratos tão tradicionais da gastronomia portugueses, como o Bacalhau à Brás, as Migas de Feijão ou os Pastéis de Chaves, entre outros.

“Estes estudantes reconheceram não só o potencial culinário das algas marinhas, mas também o seu papel fundamental num sistema alimentar sustentável. À medida que o mundo luta contra a pesca excessiva e o esgotamento dos recursos marinhos, as algas oferecem uma solução ecológica, sendo que o seu cultivo tem uma pegada ambiental mínima”, sustentam os coordenadores do projeto.

“Enquanto estamos à beira de uma nova era na sustentabilidade alimentar, os esforços destes jovens chefs representam mais do que apenas inovação culinária. Eles sinalizam uma mudança na nossa relação com os nossos oceanos, demonstrando que com engenho e respeito pela tradição, podemos criar um sistema alimentar que seja ao mesmo tempo sustentável e delicioso”, argumentam Gilberto Costa e Miguel Brito.

e-book ‘Algas à portuguesa’ conta igualmente com experiências gastronómicas – Ação do Homem e Bioinspiração – dos alunos do Mestrado em Inovação em Artes e Ciências Culinárias, da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril.

Miguel Brito, por seu turno, apresentará na Bolsa de Turismo de Lisboa o ‘ReWo – From Research to Working Life’, um projeto Erasmus+ que visa encontrar as melhores práticas para aplicar e implementar os resultados da investigação sobre turismo na vida profissional no setor do turismo.

Em suma, o objetivo do Rewo passa por conectar os alunos com representantes da indústria do turismo, motivando-os a apresentarem desafios reais aos alunos, para que estes os desenvolvam no contexto da redação de teses finais, transferindo-os posteriormente para a prática.

Neste projeto, traduzível à letra em ‘da pesquisa à vida profissional’, a ESHTE tem como parceiros a Universidade de Maribor (Eslovénia), a Universidade de Ciências Aplicadas da Lapónia (Finlândia) e a Universidade de Stavanger (Noruega).

Sobre a Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril

A Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril (ESHTE), criada em 1991, é uma Instituição Pública de Ensino Superior Politécnico, tutelada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. Os Estatutos reafirmam a sua natureza de escola politécnica não integrada e conferem-lhe atribuições no sentido da criação, transmissão e difusão de conhecimentos relacionados com o exercício de atividades profissionais altamente qualificadas, nas áreas do Turismo, da Hotelaria e da Restauração.

Fonte: msimpacto.com

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar