A AMPLA, uma mostra de cinema 100% inclusiva está de volta a Lisboa

242 views
“AMPLA”, o único evento de cinema 100% inclusivo que acontece em Portugal, está de volta para a sua terceira edição. A iniciativa, que reúne uma seleção dos filmes premiados nos melhores festivais nacionais, irá decorrer entre os dias 1 e 3 de março, na Culturgest, criando as condições para um acesso universal a todo o público interessado.  Todos os filmes são exibidos com legendas descritivas, interpretação em Língua Gestual Portuguesa e audiodescrição, e ainda com garantia de acessibilidade no espaço físico, para além de asseguradas algumas sessões Descontraídas.

Ao longo dos três dias, os espectadores poderão assistir a um total de 22 filmes, entre curtas e longas-metragens, que combinam diferentes géneros, tais como drama, comédia, documentário, terror e até filmes infantis. A sessão de abertura, no dia 1 de março às 21h, conta com a longa-metragem portuguesa “Mal Viver”, de João Canijo, sobre a relação amargurada de diferentes mulheres da mesma família que tentam sobreviver num hotel em decadência. Este filme foi simultaneamente vencedor do prémio de Melhor Longa-metragem no festival IndieLisboa e candidato português ao Óscar de Melhor Filme Internacional.
 
Rita Gonzalez, fundadora da AMPLA, refere que “o principal foco da nossa iniciativa é garantir verdadeiramente “Cinema para Todos”, assegurando os recursos de audiodescrição, interpretação em Língua Gestual Portuguesa e legendas descritivas, disponíveis em todas as sessões, para que as pessoas com necessidades específicas possam desfrutar livremente de qualquer sessão da AMPLA e na mesma sala que o público em geral. A mostra prevê também para crianças e adultos com espectro de autismo ou outras perturbações de desenvolvimento a realização de sessões Descontraídas disponibilizando uma sala de conforto e as histórias visuais das respetivas sessões. Também está assegurada a acessibilidade no espaço físico, pensando nas pessoas utilizadoras de cadeiras de rodas ou com mobilidade condicionada. Esta terceira edição é sinónimo da consolidação do projeto, que teve uma grande adesão nos últimos dois anos, o que nos levou a aumentar o número de sessões este ano. Temos também a ambição que a AMPLA possa servir de palco para inovação, ao experimentar novas tecnologias de acessibilidade e, nesse sentido, estamos a trabalhar em conjunto com a Fundação Altice Portugal”.
 
Programação da terceira edição da AMPLA
 
Para além da longa-metragem portuguesa “Mal Viver”, de João Canijo, no primeiro dia, os espectadores poderão ainda assistir à curta-metragem “Quase me lembro”, de Dimitri Mihajlovic e Miguel Lima, premiada no CINANIMA e Caminhos do Cinema Português, para além de integrar a competição internacional do Festival de Clermont Ferrand, considerado o maior festival de curta metragens do mundo.

No dia 2 de março às 15h, a programação integra uma sessão de curtas,  com vários filmes premiados nos diversos festivais nacionais e nomeados para os Óscares, entre os quais se destacam “Our Uniform”, “Dog-Apartment” e “The Veiled City”. Às 18h do mesmo dia passa “Natureza Humana” e “Paradise”, premiados nos festivais Curtas Vila do Conde e FEST, respetivamente; “Paradise” revela como os habitantes de uma aldeia no coração da floresta boreal da Sibéria, deixados à sua sorte, se juntaram para combater os incêndios gigantescos que deflagraram em 2021. À noite, é chegada a sessão de terror, que acontece às 21h, com os filmes “Gangrena”, sobre uma doença gangrenosa que se espalha numa aldeia, vencedor do prémio de Melhor Curta de Terror europeia no MotelX e “Megalomaniac”, aclamado no Fantasporto, e que promete uma descida ao Inferno para os mais corajosos.

 

No dia 3 de março, pelas 11h30, os filmes são para fazer as delícias das crianças, com uma sessão recheada de filmes premiados nos festivais Curtas Vila do Conde, FEST, MONSTRA e IndieLisboa, dentre os quais se destacam “Moules Frites”, sobre uma menina que quer aprender a velejar, e “A Rainha das Raposas”, em que as raposas procuram pela cidade cartas de amor que nunca foram enviadas para fazer sorrir a sua rainha. Pelas 15h passa “Uma Rapariga Imaterial”, premiado no Queer Lisboa e “A Los Libros y a Las Mujeres Canto” – uma ode a quatro mulheres que encontraram no prazer dos livros e da leitura uma forma de resistência à ignorância – premiado com o título de Melhor Filme Internacional no festival Porto/Post/Doc, depois de ter passado pelos festivais de San Sebastian, Roterdão, entre outros. Na sessão de encerramento, programada para as 18h, é exibido o filme “Cerrar los Ojos”, primeira longa-metragem de ficção de Victor Erice, realizador de “O espírito da Colmeia”, depois de um hiato de 30 anos – e que se centra no desaparecimento  de um famoso ator espanhol –  que ganhou o prémio de Melhor Filme no Lisbon & Sintra Film Festival, após ter passado por Cannes e ter sido premiado em San Sebastian (também está nomeado para os prémios Goya em 11 categorias).
 

Para além destas sessões, irá realizar-se um debate, no dia 28 de fevereiro, às 18h, sobre o tema “ Inclusão nas salas de cinema- Onde reside a responsabilidade?”. A AMPLA contempla ainda um workshop de stopmotion, durante a manhã do dia 2 de março.

Para quem quiser marcar presença na Ampla e assistir às diferentes sessões, o bilhete tem o custo de 4€ e já pode ser adquirido na Ticketline ou na bilheteira da Culturgest. Para as crianças e jovens até aos 18 anos os ingressos têm o preço de 2€. A entrada para acompanhantes de pessoas cegas, com baixa visão ou utilizadoras de cadeiras de rodas é gratuita.

 
A AMPLA é um evento organizado pela Horta Seca – Associação Cultural em parceria com a Duplacena e a Javalimágico, com a co-produção da Culturgest. A mostra conta com a Fundação Altice como mecenas exclusivo de acessibilidade. São parceiros de acessibilidade a Acesso Cultura, a Fundação LIGA, a ACAPO, a Associação Cultural de Surdos da Amadora, a Associação Promotora do Ensino dos Cegos, a Bengala Mágica – Associação de pais, amigos e familiares de crianças, jovens e adultos cegos e com baixa visão, a APPDA LISBOA – Associação Portuguesa para Perturbações do Desenvolvimento e Autismo, e a APCL – Associação de Paralisia Cerebral de Lisboa.
 
Toda a informação e cartaz completo da Ampla está disponível aqui
Fonte: the-square.co

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar