«Profundo como o Céu, Vermelho como o Mar»

386 views

A história da lendária rainha pirata do século XIX contada no aclamado romance de Rita Chang-Eppig que chega às livrarias no dia 30

Retrato imperdível da mulher cujo nome figura entre os dos piratas mais famosos e triunfantes da História, Profundo como o Céu, Vermelho como o Mar é uma aventura literária contada com a magia de Gabriel García Márquez e a excentricidade de Susanna Clarke.

A LeYa/ ASA publica, no próximo dia 30 de abril, o romance Profundo como o Céu, Vermelho como o Marde Rita Chang-Eppig. Esta é uma aventura literária contada com a magia de Gabriel García Márquez e a excentricidade de Susanna Clarke, que nos remete para a história de uma lendária rainha pirata do séc. XIX – mulher, mãe, assassina implacável e amiga dedicada. Inspirado em factos e pessoas reais, Profundo como o Céu, Vermelho como o Mar é o retrato imperdível de Shek Yeung, a mulher cujo nome figura entre os dos piratas mais famosos e triunfantes da História.

Recomendado por inúmeras publicações, entre as quais Washington Post, Time, Los Angeles Times, HuffPost, Elle e Book Riot, o romance de Rita Chang-Eppig tem sido muito aplaudido pela crítica. De acordo com a Publishers Weekly Starred Review, A prosa é lírica e o enredo – inteligente e tortuoso – explora questões de poder, violência, género e destino. É um livro a não perder.” Para a Time é “Um retrato fascinante da lendária rainha dos piratas do século XIX, Shek Yeung. Uma aventura em alto mar escrita de forma lírica.” Segundo a New York Times Book Review A investigação exaustiva da autora oferece-nos o prazer de aprender sobre as casas de coral em Taiwan e as casas de palafitas nas Filipinas, as primeiras granadas e bombas de fumo, e a deusa do mar Ma-Zou.”

Profundo como o Céu, Vermelho como o Mar, um romance de mar salgado e sangue quente, apresenta-nos Shek Yeung, uma rainha pirata. Quando Shek Yeung vê um marinheiro português matar o seu marido, um pirata temido e poderoso, ela sabe que tem de agir rapidamente ou morrerá. Sem tempo para o luto, propõe uma aliança ao novo chefe: em troca de um filho herdeiro, é-lhe poupada a vida e permitido manter o poder sobre metade da frota.

Mas as marés trazem novas e terríveis ameaças. O imperador chinês encarregou um nobre brutal de eliminar a pirataria dos mares do sul da China; e os europeus, cansados de perderem navios, homens e dinheiro para os piratas de Shek Yeung, têm novos planos para a região.

Yeung é ambiciosa, implacável e fará tudo para sobreviver e vencer, mas também se sente esgotada pelos traumas e as limitações que enfrenta enquanto mulher. À medida que vai desbravando o caminho da maternidade e as sucessivas crises de liderança, surge a questão: quanto tempo mais está disposta a lutar? Pois o que está em risco agora é a sua nova família e a sua própria vida.

Rita Chang-Eppig tem um mestrado em Ficção pela Universidade de Nova Iorque. Os seus contos figuraram já em publicações reputadas como The Best American Short Stories 2021McSweeney’s Quarterly ConcernConjunctionsClarkesworldThe RumpusVirginia Quarterly ReviewRecebeu bolsas da Rona Jaffe Foundation/Vermont Studio Center, da Bread Loaf Writers’ Conference, da Writers Grotto e do Martha Heasley Cox Center for Steinbeck Studies da San Jose State University. Atualmente vive na Califórnia.

Com tradução de Ana Saldanha, Profundo como o Céu, Vermelho como o Mar chega às livrarias no dia 30 de abril numa edição da ASA com 336 páginas e um PVP de €17,90. O livro encontra-se disponível em pré-venda online.

 

Fonte: LeYa

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar