Porto/Post/Doc 2023 fará focos nas obras de Alessandro Comodin e Maria Elorza

330 views

A ter lugar entre os dias 17 e 25 de novembro no Porto, o Porto/Post/Doc: Film & Media Festival anuncia hoje o foco nas obras do realizador italiano Alessandro Comodin e da basca Maria Elorza.

Alessandro Comodin, nascido em 1982 na cidade italiana de Frioul, junto à fronteira com a Eslovénia, estudou primeiro literatura e só mais tarde cinema, em Bruxelas, na conhecida escola INSAS. Esta posição fronteiriça e transdisciplinar manifesta-se na sua obra, onde o ecletismo se cruza com uma vontade de universalidade e reconhecimento. Para a sua primeira longa-metragem, L’estate di Giacomo (2011) – vencedora do Leopardo de Ouro para jovens cineastas do festival de Locarno –, Comodin desafiou o realizador português João Nicolau a montar o filme. Aí estabeleceu-se uma afinidade entre os dois cineastas que, desde então, montam os filmes um do outro (sem excepção). Este vínculo de Comodin ao cinema português – e o seu conhecimento da língua – tornam-no numa espécie de “primo afastado” da cinematografia nacional, sendo possível encontrar ecos do seu cinema no de alguns realizadores portugueses, em particular Nicolau e Miguel Gomes. Este seu primeiro filme impô-lo enquanto autor, cujas marcas se reconhecem na crueza e dureza da sua câmara e com a recorrência dos retratos de juventude (perdida) sobre paisagem florestal.  Já a sua mais recente longa-metragem, Gigi La Legge (2022) lança-o numa outra direção: a “comédia do real”. Aquilo que parecia ser um divertido documentário sobre um pitoresco polícia local transforma-se num improvável thriller burlesco. Não surpreende, portanto, que Alessandro Comodin tenha escolhido, na Carta Branca oferecida pelo PPD, duas comédias onde o humor físico, o erótico, o filme de ação e de aventuras se fundem e confundem. Jacques Rozier Roberto Benigni são algumas das suas referências, cineastas do riso e da inteligência, autores que sabem o poder da comédia e que Comodin revisita através do seu olhar documental. Quer siga os preceitos de um coming of age romântico, de um filme de fantasma ou de uma comédia policial, em cada um dos seus filmes Comodin desenha personagens guiadas pela melancolia, figuras desorientadas, em busca de um lugar onde se possam reconhecer.

Foi em 2018, no âmbito de uma carta branca atribuída ao  festival Zinebi, que o Porto/Post/Doc teve o primeiro contacto com a obra da realizadora basca Maria Elorza (Vitoria-Gasteiz, 1988). Maria Elorza estudou Comunicação Audiovisual na Universidade Pompeu Fabra de Barcelona e tirou o Mestrado em Investigação e Criação em Arte na Universidade do País Basco (UPV-EHU).  Desde 2011, tem vindo a combinar o seu trabalho como realizadora com a participação em diferentes projectos relacionados com o mundo do documentário. A sua obra olha para o quotidiano, tacteando a sua vida, a sua família, os seus amigos, colecionando fragmentos de ‘pequenos nadas’, que rapidamente se tornam enormes reflexões sobre a vida. Co-realizou, entre outros, o “dicionário audiovisual” Irudi mintzatuen hiztegi poetikoa (2013, Prémio de Melhor Argumento Basco no Zinebi) e o compêndio de vídeo-cartazes Agosto sin ti (2014, selecionado para festivais como Alcances e Filmadrid). Ainda em 2014, participou no programa Zinergentziak do Festival Zinebi, no âmbito do qual realizou o documentário coletivo Errautsak.

Este foco compila o seu trabalho em nome próprio e os filmes realizados com Maider Fernandez Iriarte, sob o nome Las Chicas de Paisak. Em estreia nacional, e integrando também a Competição Internacional do festival para este ano, o PPD estreará a sua primeira longa metragem, A los libros y a las mujeres canto, uma ode ao magnífico poder da literatura e do papel das mulheres nesse caminho civilizacional.

FOCO ALESSANDRO COMODIN
Gigi la Legge (The Adventures of Gigi the Law)
Alessandro Comodin, Itália, França, 99′, 2022, FIC, DOC

L’estate di Giacomo (Summer of Giacomo)
Alessandro Comodin, Itália, Bélgica, 78′, 2011, FIC

Carta Branca
Il Mostro (The Monster)
Roberto Begnini, França, Itália, 112′, 1994, FIC

Les Naufragés de l’île de la Tortue (The Castaways of Turtle Island)
Jacques Rozier, França, 146′, 1976, FIC

FOCO MARIA ELORZA
A los libros y a las mujeres canto (To Books And Women I Sing)
Maria Elorza, Espanha, 72′, 2022, DOC

Al Borde del Agua
Maria Elorza, Iñigo Salaberria, Espanha, 20′, 2023, DOC

Agosto sin ti (August Without You)
Las chicas de Pasaik, Espanha, 23′, 2013, DOC

Ancora Lucciole (Still Fireflies)
Maria Elorza, Espanha, 14′, 2018, DOC

Gure Hormek (Our Walls)
Las chicas de Pasaik, Espanha, 17′, 2016, DOC

Irudi mintzatuen hiztegi poetikoa (Poetic Dictionary of Spoken Images)
Las chicas de Pasaik, Aitor Gametxo, Espanha, 13′, 2013, DOC

La chica de la luz (The Girl of the Light)
Las chicas de Pasaik, Espanha, 9′, 2016, DOC

Quebrantos (Breaches)
Maria Elorza, Koldo Almandoz, Espanha,7′, 2020, DOC

Foto: Agosto sin ti, Las chicas de Pasaik

Fonte: portopostdoc.com

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar