Odisseia Nacional do Teatro Nacional D. Maria II chega aos Açores em julho

825 views

Em janeiro deste ano, o Teatro Nacional D. Maria II encerrou as suas portas, para obras de requalificação, no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência. Com o edifício do Rossio encerrado por mais de um ano, o Teatro encontra-se a viver uma verdadeira Odisseia Nacional. Um projeto composto por centenas de propostas, desenvolvidas em parceria com 93 concelhos de todas as regiões de Portugal continental e ilhas. Depois do primeiro semestre do ano nas regiões Norte e Centro, o D. Maria II chega agora aos Açores, numa viagem que vai passar por 3 ilhas do Arquipélago ao longo do mês de julho: Faial (Horta), São Miguel (Ponta Delgada e Ribeira Grande) e Terceira (Angra do Heroísmo).

A programação da Odisseia Nacional nos Açores tem início já na próxima semana, na Horta, onde será apresentado o espetáculo O Misantropo – por Hugo van der Ding e Martim Sousa Tavares a partir Molière, com encenação de Mónica Garnel. Esta comédia, a partir d’O Misantropo, de Molière, estará em cena no Teatro Faialense, no dia 7 de julho, seguindo depois para Angra do Heroísmo, a 21 de julho. Ainda na Horta, a editora Discos de Platão desenvolve o projeto de participação, com a comunidade local, Canta conto conta, que terá uma apresentação pública no sábado, dia 8 de julho. Seguem-se depois apresentações em Angra do Heroísmo, a 15 de julho, e na Ribeira Grande, a 22 de julho.

Também na Ribeira Grande, entre 8 e 29 de julho, estará patente a Exposição Quem és tu? – Um teatro nacional a olhar para o país, com curadoria Tiago Bartolomeu Costa. A partir de materiais documentais – figurinos e trajes, fotografias, registos sonoros e audiovisuais, programas, objetos de cena, imprensa –, esta exposição produz um comentário crítico à história social e política que o país construiu, partindo da história do Teatro Nacional D. Maria II e da Companhia Rey Colaço-Robles Monteiro, desde a ditadura do Estado Novo até à atualidade. Associado à exposição, será ainda possível participar em visitas guiadas, num debate e numa oficina. Tudo no Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas, na Ribeira Grande.

Durante o mês de julho, a Odisseia Nacional estará ainda em Angra do Heroísmo, com o espetáculo O Misantropo – por Hugo van der Ding e Martim Sousa Tavares a partir Molière, com encenação de Mónica Garnel, e o projeto Canto conto conta, da Discos de Platão. Já em Ponta Delgada, será apresentado o espetáculo Casa Portuguesa, de Pedro Penim, para além de vários ciclos de formação destinados a profissionais de cultura e integrados no programa de formação Nexos.

Os Açores são a terceira região do país por onde passa a Odisseia Nacional do Teatro Nacional D. Maria II, depois dos primeiros 6 meses do ano no Norte e Centro do país, num trabalho que envolveu 54 concelhos e milhares de participantes e espectadores. Seguem-se depois, até ao final do ano, a Madeira, em setembro, e as regiões do Alentejo e Algarve, de outubro a dezembro.

Um projeto que se desenrola em mais de 90 concelhos do país ao longo do ano, a Odisseia Nacional do integra centenas de propostas agrupadas em cinco programas:

  1. Peças: composto por espetáculos, projetos de criação e lançamentos de livros.
  2. Atos: composto por 43 projetos de participação (divididos em três grandes eixos temáticos: Paisagem, Património e Pessoas), desenvolvidos por 16 estruturas artísticas, que pretendem valorizar o tecido cultural nacional e promover práticas cívicas junto das comunidades.
  3. Frutos: programa dedicado ao universo escolar, composto por quatro projetos estratégicos e complementares, dirigidos a todos os ciclos de ensino.
  4. Cenários: evento de pensamento que reflete sobre o percurso da Odisseia Nacional e evidencia o trabalho regional, com um olhar agregador sobre a respetiva região, que tem lugar no final de cada trimestre.
  5. Nexos: programa constituído por ciclos de formação e capacitação, que colocam as competências técnicas e de gestão do D. Maria II ao serviço de equipamentos parceiros da Odisseia Nacional e da Rede de Teatros e Cineteatros Portugueses.
  6. E ainda a Exposição Quem és tu? – Um teatro nacional a olhar para o país, com curadoria de Tiago Bartolomeu Costa e desenvolvida em parceria com a Comissão Comemorativa dos 50 Anos do 25 de Abril e o Museu Nacional do Teatro e da Dança.

Com o projeto Odisseia Nacional, o Teatro Nacional D. Maria II estará presente em todo o território nacional, ao longo de um ano, intervindo nas regiões onde já se verifica uma forte dinâmica criativa, mas sendo também catalisador da vida cultural de comunidades onde há menos acesso às práticas artísticas, com particular foco no interior do país, contribuindo para o desenvolvimento da democracia cultural.

 

Mais informações sobre toda a programação da Odisseia Nacional em www.tndm.pt.

 

Fonte: www.tndm.pt

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar