“Já cheira a carvalho das aduelas e a vinhos de armazém”*

152 views

Mostra de embalagens da Sociedade Comercial Abel Pereira da  Fonseca – A Primorosa Colecção 

No início do século XX, o armazém onde nos encontramos era propriedade da  Sociedade Comercial Abel Pereira da Fonseca, uma das maiores e mais  importantes companhias da época, na área da produção e comercialização de  vinhos. 

A sociedade, os seus armazéns, oficinas e as casas para o pessoal ocupavam o  largo e as ruas adjacentes, formando uma extensa e dinâmica vila, e a proximidade  do Tejo optimizava a recepcção e escoamento de mercadoria, criando na zona um  núcleo industrial e social altamente dinâmico e próspero.  

A notoriedade da Sociedade e a vida que imprimiu ao tecido industrial e social da  época, foi tal que a frase mais ouvida na zona seria: “Já cheira a carvalho das  aduelas e a vinhos de armazém”*. Também Fernando Pessoa era adepto da  aguardente aqui vendida, interrompendo frequentemente o trabalho para “ir ao  Abel”. 

Percebemos então que, tal como hoje o 8Marvila se afirma como um pólo  comercial e cultural na cidade de Lisboa, no início do séc. XX, este local seria um  centro pujante, com muita vida social, comercial e cultural. 

A partir de uma selecção de cerca de 100 objectos originais, do séc. XX, entre  embalagens, artigos e cartazes promocionais da Sociedade Comercial Abel Pereira  da Fonseca, convidamo-lo a espreitar cada cuba e descobrir, através de uma  experiência sensorial, o universo sonoro e visual do início do séc.XX, desta zona da  cidade. 

* (ARAÚJO, Norberto de, Peregrinações em Lisboa, vol. XV, pp. 76-77) 

***

Inês Vidal e Mauro Santos, designers, produtores culturais, coleccionadores e  investigadores na área do Design de Embalagem, do séc. XX, em Portugal, viram  na abertura do pólo 8 Marvila uma oportunidade única para mostrar ao público  contemporâneo uma cuidadosa selecção de objectos retirados das suas colecções,  ligados ao universo Abel Pereira da Fonseca. 

Sem a pretensão de realizar uma exposição de cariz e profundidade histórica, a  intenção seria proporcionar uma viagem no tempo, através de uma mostra/ instalação do design de embalagem da Abel Pereira da Fonseca. 

Com esse propósito, a instalação criada conta com cerca de 100 objectos  originais, do início do séc. XX, entre embalagens, artigos e cartazes promocionais  da Sociedade Comercial Abel Pereira da Fonseca, apresentados no interior das  antigas cubas que, na época, armazenavam mais de 20 milhões de litros de vinho.  

O visitante será convidado a espreitar pelos orifícios ogivais das cubas e a usufruir  de uma experiência sensorial, proporcionada pela recriação do universo visual e  sonoro daquele tempo. A iluminação, a projecção de imagem, as peças,  especialmente dispostas numa mise en scene de época, e a paisagem sonora,  especialmente criada por Samuel Lucas, transportarão o visitante para outros  tempos e vivências deste espaço.  

Numa parceria com o 8 Marvila e a família Pereira da Fonseca, esta mostra conta  com o apoio especial da trineta de Abel Pereira da Fonseca, a artista plástica Luísa  Pereira da Fonseca que disponibilizou a sua galeria para a mostra, também  localizada numa das cubas do 8 Marvila, e com o patrocínio dos vinhos da família –  Val do Rio – na inauguração da iniciativa. 

Com entrada gratuita, a mostra “Já cheira a carvalho das aduelas e a vinhos de  armazém” inaugura dia 9 de Maio às 19:00, no 8 Marvila, e pode ser visitada até 9  de Junho, de 5a a Sábado das 12 às 00h e Domingo, das 12:00 às 22:00. Esta  iniciativa será também o ponto de partida para uma temporada de exposições  sobre Design de Embalagem no séc. XX, em Portugal, a realizar pelos curadores  desta exposição. 

***

Inês Vidal . 1984 

Natural de Santiago do Cacém, Litoral Alentejano, é licenciada em Design de Equipamento  pela ESAD Matosinhos e Mestre em Packaging Design pela ELISAVA, Escola Superior de  Disseny, Barcelona. 

Iniciou o seu percurso profisisonal como designer industrial na 37 Design e, rapidamente,  percebeu que o seu perfil seria útil na gestão, produção e implementação de projectos iniciando,  por isso, o seu percurso como Produtora e Gestora de projectos culturais, em regime Freelancer. 

Criou a ADDA – Agitar Depois De Abrir, um projecto de investigação, consultoria e formação na  área de Design de Packaging. 

Leccionou Design de Embalagem na Lisbon School of Design, nas disciplinas teórica-conceptual  e orientação de projecto. 

Foi city organiser, programadora e produtora da plataforma Pecha Kucha Night Lisbon. 

Integrou a iniciativa Ano do Design Português, assumindo a produção da exposição LEVE (Design  de Produto Português), na São Paulo Design Weekend. 

Integrou a equipa de Comunicação e Produção do Festival BONS SONS, assumindo a  responsabilidade de Produção executiva/gráfica e a Gestão da equipa de Design. 

Colaborou com a Dir. de Comunicação e Marketing do Grupo Visabeira, assegurando a Produção  Executiva de conteúdos audiovisuais e editoriais (Vista Alegre, Bordallo Pinheiro). 

Colaborou, como Produtora e Gestora de projecto, em eventos de Artes Visuais, Design e  Arquitectura como Trienal de Arquitectura de Lisboa, Experimenta Design e Festival  Iminente, produzindo Obras de Arte, Exposições, Workshops e Conferências internacionais. 

Frequentou o Doutoramento em Design na FAUL e deu início a uma investigação sobre Design  de Embalagem em Portugal no século XX. 

O seu interesse pela cultura material portuguesa levou-a a colaborar com A Vida Portuguesa,  exercendo as funções de Assistente da Fundadora e Produtora Executiva do Gabinete de Design. 

Actualmente mantém a sua actividade como Produtora e Gestora de projectos culturais  colaborando com Artistas, Instituições e Projectos, em regime freelancer. 

https://www.instagram.com/inesrvidal/ 

Mauro Santos . 1977  

Licenciado em Design industrial pelo IADE. Frequenta o Mestrado em Museologia da FCSH da  Universidade Nova de Lisboa.

A PRIMOROSA COLECÇÃO 

A Primorosa Colecção surge em 1997, quando Mauro Santos começa a reunir uma série de  embalagens de uso quotidiano: objetos que tinham um design e uma imagem icónicos e que  contavam a história do consumo em Portugal; objectos de baixo custo e de fácil aquisição que  ainda se encontravam em mercearias, drogarias e noutros locais de comércio tradicional. Em  pouco tempo, a Colecção atingiu uma dimensão avassaladora, tornando necessário definir  critérios e limites cronológicos, para conter e nortear as pesquisas, as aquisições e as doações.  Assim, a partir doe 2000, define-se o âmbito da colecção: todas as embalagens de produtos  consumidos em Portugal durante o século XX. Hoje conta com mais de 4000 objectos que  incluem embalagens, brindes e publicidade produzidos e comercializados ao longo do úlitmo  século 

https://www.instagram.com/aprimorosacoleccao/ 

 

 

Curadoria, design e produção 

Inês Vidal | Mauro Santos 

Peças d’ A Primorosa Colecção 

propriedade de Mauro Santos 

Paisagem sonora 

Samuel Lucas 

Apoio 

8 Marvila 

Luísa Pereira da Fonseca 

Vinhos Val do Rio Gonçalo Fonseca Selection 

Lang Solutions Audiovisuais 

FANQ Crossmedia 

 

 

Fonte: Inês Vidal

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar