8ª edição do Porto Pianofest

299 views

De 1 a 9 de agosto, o Porto Pianofest traz 10 artistas, internacionais e portugueses, até aos espaços culturais mais emblemáticos da cidade do Porto. O cartaz do festival para 2023 revela a consolidação do evento, com uma agenda rica em apresentações, masterclasses e atividades em residências artísticas, num esforço para demonstrar o poder transcendente da música – clássica e não só.

Estados Unidos, França, Espanha e Portugal são os países de origem dos artistas que se destacam no cartaz da 8ª edição do Porto Pianofest. A inauguração do festival internacional de música clássica é feita ao ritmo de uma Maratona de Piano no final de julho e, entre os dias 1 e 9 de agosto, em vários palcos da cidade do Porto e Famalicão, decorrem performances de bailarinos e intérpretes de referência da flauta, violino e piano.

As boas-vindas ao Porto Pianofest são dadas a 28 de julho, no Mercado do Bolhão. Com um concerto a quatro mãos, a Maratona do Piano conta com a presença e performances do Diretor do evento, Nuno Marques e da Vice-Diretora, Mariel Mayz. Entusiasmado pelo arranque de mais uma edição, Nuno Marques revela que ambos os responsáveis do festival se encontram “ansiosos por regressar ao Porto e reunir, mais uma vez, uma comunidade de músicos e jovens artistas do mais elevado calibre, provenientes dos quatro cantos do mundo”.

Com a chegada do mês de agosto, o festival internacional arranca com o concerto de abertura, na Casa da Música, onde se prevê um espetáculo com tanto de exclusivo como de surpreendente. Assim, no dia 1 de agosto, com o regresso dos melhores bailarinos da Stars of American BalletEmanuel Salvador no violino e Nuno Marques no piano, produz-se uma obra inesquecível, ao som de composições intemporais como os Nocturnos de Chopin ou a Sonatina de Ravel.

No dia 2 de agosto, no Salão Nobre da Reitoria da Universidade do Porto, celebra-se o regresso de José Ramon Mendez. Conhecido como “poeta do piano”, o artista e pedagogo espanhol prepara-se para cumprir a tradição de deslumbrar o público com as suas obras líricas e virtuosísticas. No dia seguinte, a mesma sala recebe um duo improvável e cativante, entre a flautista Ana Ferraz e o pianista Selim Mazari, uma estrela em ascensão francesa. Assim, o festival demonstra o talento e as várias razões pelas quais estes dois artistas com carreira internacional integram as listas de músicos mais destacados da Europa. No dia 4 de agosto, ainda na Reitoria da Universidade do Porto, decorre a estreia do pianista e autor norte-americano Zsolt Bognár, cuja paixão pela música clássica se estende até à apresentação da premiada série documental Living the Classical Life, que reflete a sua visão musical através de um ângulo pessoal e marcante.

Também o Concerto para Famílias é uma das tradições que o Porto Pianofest mantém, a 5 de agosto, num esforço para desenvolver a sua componente pedagógica. Assim, pais, filhos e o público de todas as idades são convidados a desenvolver o seu talento. No final do dia, no Pátio da Casa Museu Guerra Junqueiro, ocorre a estreia de uma das cabeças de cartaz desta edição do Porto Pianofest: a pianista Lara Downes, consagrada como a “Mulher Clássica do Ano” em 2022 pela Performance Today. A artista marca presença no topo das tabelas de vendas Billboard e é também produtora, curadora e ativista artística, ao posicionar-se como uma visionária cultural no cenário artístico norte-americano.

Entre os dias 6 a 8 de agosto, o Porto Pianofest estará no WOW com os recitais do Ciclo de Residências Artísticas. Estas correspondem ao culminar da participação de jovens pianistas internacionais que, graças aos mestres do festival internacional, desenvolvem capacidades técnicas e musicais para dar conhecer ao mundo a sua arte.

O encerramento do evento comemora-se no Palácio da Bolsa onde, a 9 de agosto, fica-se a conhecer a nova obra de um dos mais destacados pianistas espanhóis. Luis Fernando Pérez fecha esta 8ª edição do festival com a apresentação do ciclo “Ibéria” de Isaac Albéniz, um monumento da literatura pianística e musical, cujo grau de dificuldade não passa despercebido.

Além disso, no dia seguinte, o Porto Pianofest parte em digressão e viaja até Vila Nova de Famalicão. Ao referir este último concerto, Nuno Marques explica que: “Esta é, sem dúvida, a melhor forma de assinalar o encerramento de mais uma edição. Depois de distribuir cultura e talento pela cidade do Porto, chegar a Famalicão e criar um momento de celebração e intercâmbio entre a comunidade – convidada e local – e todos os membros da equipa do festival reveste-nos de emoção, de um espírito de união e de uma sensação de dever cumprido. Graças a este projeto, conseguimos democratizar e, sobretudo, descentralizar o acesso à música clássica. Esta pode ser escutada e apreciada não só em grandes centros urbanos, como também em novos polos, tal como Famalicão – onde conseguimos fidelizar e chegar a novos públicos. E essa é a verdadeira missão do festival”.

Os nomes que marcam a agenda do Porto Pianofest para 2023 foram revelados durante as duas galas inaugurais do evento que decorreram em Nova Iorque, cidade de residência do Diretor do festival, e em Washington.

Fonte: silver-lining.pt

 

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar