Diogo Rocha recebe Francis Paniego para um jantar especial no Mesa de Lemos que promove a gastronomia ibérica e a alta cozinha fora dos centros urbanos

515 views

fine dining ibérico junta-se à magnífica paisagem da região do Dão para uma experiência única em Viseu. No dia 6 de junho, o chef Diogo Rocha promove uma noite especial, em que partilha a cozinha do Mesa de Lemos (1* MICHELIN – a primeira do distrito de Viseu – e estrela Verde MICHELIN) com o chef espanhol Francis Paniego, responsável pelos restaurantes El Portal de Echaurren (2* estrelas MICHELIN e 3 sóis Repsol) e Echaurren Tradición (1 sol Repsol), ambos localizados no Hotel Echaurren, na povoação serrana de Ezcaray, em La Rioja, norte de Espanha.

“Este é um encontro que prova que a alta gastronomia tem lugar fora dos centros urbanos, onde a beleza da natureza eleva ainda mais este tipo de experiências. No Mesa de Lemos, temos orgulho em ter um menu que se inspira na gastronomia portuguesa e nas paisagens do Dão, onde promovemos os produtos e produtores nacionais. O Francis tem também uma forte ligação às tradições gastronómicas bascas, sobretudo as da sua região, La Rioja. Temos ambos restaurantes fora das cidades e partilhamos o privilégio de trabalhar diariamente em locais onde a natureza assume um papel preponderante, inspirando-nos para uma cozinha mais consciente e autêntica. Este vai ser um jantar que une Portugal e Espanha, com a valorização do produto e dos sabores dos dois países vizinhos”, refere Diogo Rocha.

Com assumida influência da cozinha tradicional riojana, o chef Francis Paniego gere os restaurantes do centenário Hotel Echaurren Relais & Châteaux, na família há cinco gerações, que renovou juntamente com os seus irmãos, tendo sido o primeiro a trazer a estrela MICHELIN para La Rioja, como o El Portal de Echaurren. Francis Paniego foi também responsável por trazer a primeira estrela MICHELIN para Andorra, em 2022, com o restaurante Ibaya, do Hotel Hermitage.

À semelhança do que Diogo Rocha fez com Viseu, Francis Paniego converteu, inesperadamente, a povoação de Ezcaray num destino de alta gastronomia. Conhecido por trabalhar as partes menos nobres dos animais, sobretudo de borrego, típico da região, surpreende pela elegância com que usa estes ingredientes na sua cozinha. Assumidamente influenciado pela cozinha da mãe, que venceu “Premio Nacional de Gastronomía en 1987”, em Espanha, é nos sabores serranos que encontra a sua inspiração diária.

“Para mim, é um autêntico prazer poder cozinhar ao lado do Diogo Rocha, na sua casa Mesa de Lemos. Levaremos uma amostra da cozinha que fazemos em Ezcaray, uma pequena povoação de apenas 2.000 habitantes, na região da la Rioja, onde a minha família gere o hotel Echaurren, há mais de 125 anos. A nossa cozinha está profundamente ligada ao território, às tradições e à paisagem da nossa terra. É com muita satisfação que viajamos até Portugal, para descobrir o Mesa de Lemos e poder partilhar algumas horas de felicidade com quem se junta a nós, ao lado do Diogo e da sua equipa”¸ comenta Francis Paniego.

 

A unir estes dois chefs está também a preferência por um sabor temperado, que apela ao aconchego ao mesmo tempo que realça a identidade de cada produto. Mestres em combinações inesperadas, os dois chefs preparam um menu para a noite de 6 de junho, no Mesa de Lemos, que combina as influências tradicionais espanholas e portuguesas, onde cada um deposita um cunho criativo, numa união entre a tradição e a inovação.

Este vai ser um encontro entre dois chefs ibéricos, com a particularidade de ambos trabalharem fora dos centros urbanos, com uma cozinha de fine dining muito focada na regionalidade e nas tradições. Os dois chefs são assumidamente influenciados pela autenticidade do produto e a cozinha regional, da La Rioja (Francis) e Viseu (Diogo), e vão trabalhar em conjunto pela primeira vez. Esta é também uma noite que promove a descentralização e a promoção de espaços de alta qualidade, com uma oferta diferenciada, fora das grandes cidades.

 

Informações gerais:
Mesa de Lemos

Morada:
Passos de Silgueiros, 3500-541 Silgueiros, Viseu

Horários:
Quarta-feira e quinta-feira, das 20h00 às 00h00

Sexta-feira e Sábado, das 12h00 às 15h00 e das 20h00 às 00h00

Domingo, das 12h00 às 15h00

 

Reservas:
Online
E-mail: reservas@mesadelemos.com
Telm.: + 351 961 158 503

Online:
Website
Facebook
Instagram

 

 

Sobre o chef Diogo Rocha

Diogo Rocha começou a trabalhar na área da cozinha profissional cedo. Estudou no Curso de Cozinha e Pastelaria de Coimbra, licenciou-se em Produção Alimentar e Restauração e tornou-se mestre em Sustentabilidade de Turismo na ESHT do Estoril, tendo-se especializado em produtos da Serra da Estrela. Passou por projetos como Encontrus (catering), restaurante Terreiro do Paço, Villa Joya e Valle Flor, como estagiário. Em 2008, entrou para o Dão Sul, onde assume a chefia executiva de todo o grupo com três espaços de restauração: Quinta de Cabriz, Quinta do Encontro e Paço dos Cunhas de Santar. Desde 2009, faz parte do corpo docente da Escola Superior de Turismo de Seia, onde leciona a cadeira de Gastronomia.

Em julho de 2013, entra no universo do grupo de Celso de Lemos, vindo a abrir o Mesa de Lemos como Chef executivo em abril do ano seguinte. A natureza e a preservação do estado mais puro dos produtos são as premissas que garantem a alta qualidade dos produtos, na linha daquilo em que o chef acredita. Muitos dos ingredientes utilizados no restaurante Mesa de Lemos são produzidos na propriedade e todo o conceito apela à seleção de produtos de elevada qualidade.

Em 2015, Diogo Rocha assume o papel de embaixador da marca de bacalhau Lugrade. Em dezembro de 2016 publica o primeiro livro, “Hoje Diogo Rocha”, em que demonstra o carinho pela sua região e o amor que tem aos produtos portugueses. Assume ainda a coragem de editar o livro em inglês – “Today Diogo Rocha”. Este foi premiado com o primeiro “1º Prémio Fotografia” para livros sobre gastronomia no concurso organizado pela Portugal CookBook Fair.

Em novembro de 2019 publica o seu segundo livro “Queijaria do Chef”, que a acrescentar às características, método de produção, sugestões de petisco e harmonização com vinho, possui mais de 50 receitas de como usar os melhores queijos portugueses. Arrisca novamente na edição do livro em inglês – “Chef´s Dairy”. Em 2021, publica um novo livro dedicado ao bacalhau, “Mãe, hoje é Bacalhau à Chef Diogo Rocha”.

A partir de 2017, é nomeado embaixador oficial de Viseu, pertencendo-lhe a promoção e apoio na área da gastronomia da cidade e região com presenças na FITUR, BTL e outros eventos, como o “Viseu Estrela à Mesa”, em que assume o papel de curador. Continua envolvido em diversos projetos na região do Dão e a nível nacional.

Em 2019, conquista a primeira Estrela MICHELIN para o Mesa de Lemos, que renova sucessivamente pela 5ª vez em 2024. A par deste galardão, o chef vê também premiado o seu trabalho de sustentabilidade na cozinha do restaurante, com o reconhecimento da Estrela Verde MICHELIN, em 2022, renovada em 2024, na primeira “Gala MICHELIN Star Revelation – Portugal”.

Sobre o chef Francis Paniego Sánchez

Nascido em 1968, formou-se nos melhores restaurantes de Espanha mas manteve sempre uma relação estreita com a cozinha tradicional e os produtos da sua terra natal, La Rioja. Francis Paniego orgulha-se de ter recebido as suas primeiras influências e o seu ADN como chef pelas mãos da mãe, Marisa Sánchez, uma referência da boa cozinha tradicional riojana. Influenciado pelo desejo de aprofundar a tradição, o seu último trabalho tem como objetivo valorizar e atualizar as tradições mais profundas da região.

Francis gere atualmente as cozinhas dos restaurantes El Portal de Echaurren (2 estrelas MICHELIN e 3 sóis Repsol) e Echaurren Tradición (1 sol Repsol), ambos localizados no Hotel Echaurren, pertencente à sua família há cinco gerações, recentemente remodelado e associado ao clube de qualidade Relais & Chateaux, na pitoresca povoação de Ezcaray.

O chef é também responsável pela consultoria gastronómica do Hotel Marqués de Riscal, em Elciego (Álava), onde ganhou 1 estrela MICHELIN, em 2012. Desde 2019, é também assessor do Hotel Hermitage, em Andorra, onde obteve a primeira estrela MICHELIN no Ibaya na edição de 2022, a primeira também para o pequeno país dos Pirinéus após 18 anos.

PRÉMIOS:

o   Prémio Nacional de Gastronomia para o Melhor Chef de Cozinha de Espanha 2011, pela Academia Espanhola de Gastronomia

o   2 estrelas MICHELIN para o restaurante El Portal de Echaurren

o   1 estrela MICHELIN para o restaurante Marqués de Riscal

o   1 estrela MICHELIN para o restaurante Ibaya, em Andorra

o   Prémio Chef de L’Avenir 2015, pela Academia Internacional de Gastronomia

 

Sobre o Mesa de Lemos

Localizado na Quinta de Lemos, em Passos de Silgueiros (Viseu), o restaurante Mesa de Lemos renovou em 2024, pelo quinto ano consecutivo, a Estrela MICHELIN, distinção que conquistou pela primeira vez em 2019, pelas mãos do chef executivo Diogo Rocha. Na mesma edição, e pelo segundo ano, o Mesa de Lemos voltou a conquistar também a Estrela Verde MICHELIN, que premeia os restaurantes que pratiquem as melhores práticas de sustentabilidade, com iniciativas que preservem o meio ambiente.

Com o mais recente menu assente nos aromas da floresta, o Mesa de Lemos é um verdadeiro refúgio perto da serra, enquadrado na distinta paisagem do Dão e ladeado pelas vinhas da Quinta de Lemos. O foco da cozinha percorre alguns dos melhores produtos nacionais, como a enguia da zona Centro, o besugo da costa, o cherne dos Açores, o cabrito da Serra do Caramulo ou o requeijão da Serra da Estrela. Também o bacalhau, com origem na Islândia, é uma constante nas propostas do restaurante, a garantir que os sabores respeitem a autenticidade de cada produto e a matriz da gastronomia nacional. Esta é uma cozinha que alia o conforto dos sabores tradicionais, trabalhados com técnicas sofisticadas, que destacam o Mesa de Lemos no panorama gastronómico nacional.

A par da Estrela MICHELIN, a renovação da Estrela Verde MICHELIN vem encorajar ainda mais a continuação do uso dos recursos próprios aplicados no restaurante, de forma a minimizar o impacto ambiental. Um dos pontos em destaque é a baixa pegada ecológica, com o uso exclusivo de vinhos e azeites Quinta de Lemos, cuja adega e depósitos encontram-se a poucos metros do restaurante. Também a horta de 2 hectares em regime biológico, permite o acesso direto a produtos variados, integrados nos pratos do Mesa de Lemos, tal como a fruta do pomar, composto por 160 árvores biológicas, que, em época alta, é conservada e utilizada ao longo do ano de forma a minimizar o desperdício.

A reciclagem convencional de papel, vidro e plástico, a reciclagem de óleos, gorduras e cápsulas de café e a compostagem são outras das preocupações, no sentido de evitar desperdício. Também não são usados alimentos de produção intensiva e desregulada. Os peixes da carta são sempre de pesca sustentável e da estação, não consumidos em época de defeso, sendo ainda evitados na desova. A própria produção da Quinta de Lemos respeita um sistema agrícola de produção integrada, de forma a reduzir ao mínimo as intervenções de produtos fitossanitários e o uso de recursos naturais. Um dos exemplos é o facto das vinhas não serem irrigadas, ficando à mercê do clima.

Igualmente as toalhas, guardanapos e atoalhados usados no Mesa de Lemos são eco friendly, produzidos conforme a norma Eko tek – EKO 100 pela Abyss & Habidecor, a empresa têxtil de luxo que está na origem da Quinta de Lemos, também localizada em Viseu. A Quinta integra ainda o atelier de cerâmica Geraldine, pelas mãos da artista Geraldine de Lemos, onde é criada à mão a loiça servida no restaurante, desenhada em conjunto com o chef Diogo Rocha. Este é um ciclo completo que se fecha à mesa e que envolve vários componentes que fazem deste restaurante, aberto desde 2014, um conceito único no nosso país.

Fonte: Chefsagency

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar