CONFERÊNCIA DA OMS TRATA DE INOVAÇÃO POLÍTICA PARA O ENVELHECIMENTO SAÚDAVEL

197 views

Organização Mundial da Saúde – OMS Europa – iniciou, hoje, em Lisboa, a Conferência Regional para a Inovação Política para o Envelhecimento Saudável na região europeia.

Nos dias 10 e 11 de outubro de 2023, a cimeira reunirá líderes governamentais, especialistas e representantes da sociedade civil para discutir e promover políticas de envelhecimento saudável.

Os tópicos que serão abordados incluirão a criação de ambientes saudáveis para pessoas idosas, perspectivas sobre o envelhecimento, cuidados de longa duração, cuidados de qualidade e equidade, promoção da atividade física e alimentação saudável, mão de obra na área da saúde, dados de monitorização, financiamento da saúde para população idosa, apoio aos cuidadores informais e promoção da saúde e literacia digital.

Na sessão de abertura do primeiro dia do grande evento, mediada por Piroska Ostlin’s, Regional Advisor, OMS Europa, os especialistas Robert Butler, trainee for World Championship in Ironman; Andre Peralta, Vice-diretor na Direção Geral da Saúde de Portugal e Natasha Azzopardi Muscat, Diretora de Políticas e  e Sistemas, OMS Europa, trataram do tema: “Envelhecimento redefinido: aproveitar o envelhecimento da população como catalisador de inovações políticas para uma vida mais longa e saudável”.

CIDADES AMIGAS DA PESSOA IDOSA – PROFESSOR ALEXANDRE KALACHE

 

Por sua vez, a sessão “Criar um ambiente propício ao envelhecimento saudável”, foi introduzida por Yongjie Yon, Responsável Técnico em Envelhecimento e Saúde, OMS Europa, e deu ênfase na importância dos ambientes favoráveis ao envelhecimento saudável, especialmente dentro da iniciativa Cidades e Comunidades Amigas da Idade (CCAA) da Organização Mundial de Saúde.

 

Professor Alexandre Kalache, Presidente do Centro Internacional de Longevidade do Brasil e Thiago Herick De Sa, Responsável Técnico pelas Cidades e Comunidades Amigas das Pessoas Idosas, sede da OMS, moderam a referida sessão, a qual foi abrilhantada com a palestra inicial do referido Professor Kalache ao tratar do tema “Navegar pelas iniciativas amigas das pessoas idosas: Visão, implementação e rede global”

A palestra do renomado Professor Kalache foi marcada por sua inspiradora abordagem sobre o seu trabalho na Organização Mundial da Saúde que deu origem à iniciativa Cidades Amigas do Idoso.

Iniciou a sua apresentação relembrando como uma oportunidade única surgiu durante o Congresso da Associação Internacional de Gerontologia, realizado no Rio de Janeiro, sua cidade natal. “Foi um grande prazer e honra que o Congresso tenha acontecido no Rio, e lá que veio a ideia de aproveitar a oportunidade e a imaginação que a mídia iria gerar”, disse ele.

Nesse momento, o Prof. Kalache destacou uma mudança demográfica significativa anunciada pelas Nações Unidas: em 2007, pela primeira vez na história, haveria mais pessoas vivendo em áreas urbanas do que em zonas rurais. Isso trouxe consigo duas revoluções cruciais: a revolução da longevidade e a urbanização em escala global, afetando não apenas a Europa, mas também a América Latina, a África e a Ásia.

A pergunta que se impôs diante dessas revoluções foi se as sociedades estavam preparadas para enfrentar os desafios que se avizinhavam. E foi nesse contexto que o Prof. Kalache decidiu lançar um novo olhar sobre as Tendências Demográficas, focando inicialmente em seu distrito natal, Copacabana. Ele descreveu Copacabana como um lugar associado com praia, música, beleza e futebol, mas também como um local onde as pessoas estão envelhecendo rapidamente. “Temos uma estrutura em Copacabana que é a mesma do Japão, por isso é um laboratório para ver como será o Brasil em 2050, com todos os seus contrastes e contradições”, enfatizou.

O Prof. Kalache explicou que, a partir de estudos qualitativos realizados com grupos focais em Copacabana, ele fez uma apresentação na conferência do IHGG e imediatamente buscou o apoio do governo do Canadá. Esse apoio levou a uma reunião em Vancouver com gerontólogos, planejadores urbanos e acadêmicos, onde foi gerado um Protocolo que delineava as dimensões essenciais a serem consideradas no envelhecimento em áreas urbanas periféricas.

Com tal Protocolo em mãos, o Prof. Kalache e sua equipe o aplicaram em 35 cidades ao redor do mundo. Os resultados dessa pesquisa foram então discutidos em Genebra por mais de 3.200 participantes, incluindo 1.000 prestadores de cuidados. Posteriormente, o guia baseado no Protocolo criado foi lançado em todas as “Cidades Amigas do Idoso”, abrangendo grandes metrópoles, áreas metropolitanas e cidades menores.

O impacto dessa iniciativa foi notável. O Prof. Kalache revelou com orgulho que a ideia que começou de forma modesta capturou a imaginação de pessoas em todo o mundo. Ele mencionou a Rede Global em Genebra e a crescente adesão a esse modelo por milhares de cidades ao redor do mundo, incluindo na Noruega, onde havia 295 cidades e comunidades aderindo a ele, independentemente de seu tamanho.

O Professor Alexandre Kalache concluiu sua palestra enfatizando a importância de olhar para o futuro à medida que envelhecemos. Sua visão inspiradora e seu trabalho incansável na promoção do envelhecimento saudável e inclusivo nas cidades demonstram que as mudanças demográficas não são desafios intransponíveis, mas oportunidades para criar sociedades mais resilientes e acolhedoras para todas as gerações.

PhD em epidemiologia pela Universidade de Oxford, Professor Kalache é fundador da Unidade de Epidemiologia do Envelhecimento da Universidade de Londres e criador do primeiro mestrado em Promoção da Saúde da Europa. Além disso, dirigiu o Departamento de Envelhecimento e Curso de Vida da Organização Mundial da Saúde (OMS). Nesse período concebeu e publicou, em 2002, o Marco Político do Envelhecimento Ativo e, posteriormente a iniciativa Cidades Amigas do Idoso em 2005.

OUTROS EXEMPLOS PARA O ENVELHECIMENTO SAÚDAVEL NA EUROPA

Na sequência, foram apresentados exemplos inspiradores destacando a visão de criar ambientes de apoio para todos, além de abordar a criação e implementação desses ambientes, tais como:

 

  1. “Capacitar Comunidades”: O País de Gales investe em parcerias para apoiar as pessoas idosas, com apresentação de Heléna Herklots, Comissária para as Pessoas Idosas.
  2. “Da Visão ao Impacto”: A Noruega construiu uma rede nacional de CCFA em menos de 5 anos, liderada por Anne-Berit Rafoss, Gestora de Projetos da Age-friendly Norway.
  3. “Avaliação do Impacto”: Espanha realiza pesquisa e análise dos resultados do programa AFCC Age-friendly Cities and Communities, apresentado por Sara Ulla Diez, Coordenadora de Estudos e Apoio Técnico.
  4. “Integração Vertical”: O Reino Unido, especificamente a Greater Manchester Combined Authority, reforça ambientes amigáveis para idosos, desde o nível local até o nacional, com a apresentação de Paul McGarry, Diretor Adjunto.

 

CALL FOR ACTION – DECLARAÇÃO DE RESULTADOS DE LISBOA

No encerramento do primeiro dia da relevante conferência, a Ex-Ministra da Saúde de Portugal, Sra. Maria de Belém Roseira, e a Sra. Natasha Azzopartdi Muscat, Diretora de Políticas e Sistemas da OMS, introduziram a aprovação da Declaração de Resultados de Lisboa como um documento técnico para promover o envelhecimento saudável na Região Europeia da OMS, criado após deliberações que aprofundaram as prioridades-chave delineadas na declaração, com o objetivo de implementação efetiva. Referida Declaração de Resultados foi assinada pelas presentes em um ato que encerrou com grandiosidade o evento.

 

 

Texto/Artigo e Fotografias: Silvia Triboni

 

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar