Kosmik Band edita Mantras On The Beach, disco inspirado pela prática da yoga

41 views

Uma praia no sul da Índia chamada Mahabalipuram e a prática de yoga inspiraram Enzo Buono, da Kosmik Band, a originar a ideia do disco que o grupo edita hoje (27), Mantras On The Beach, o segundo de sua trajetória. Com nove temas e gravado na frequência 432hz – capaz de proporcionar tranquilidade –, o álbum traz mantras em sânscrito acompanhados de melodias relaxantes, e reafirma a relação duradoura da banda com a cultura indiana. “Mantras são como canções de amor e retratam a relação dos hindus com o divino. E eles têm muitas divindades, como Shiva, Vishnu, Brahma. Os mantras refletem o amor que eles sentem por essas energias”, comenta Enzo. Oiça o disco aqui.  

O cruzamento de culturas está no DNA da banda, que conta com integrantes de diferentes partes do mundo, com percursos diversos. Da Argentina, Charo Bogarín – La Charo – tem origem guarani e incorpora suas raízes indígenas ao seu trabalho, Enzo Buono é produtor e atuou com o projeto Playing for Change a registrar a criação musical de artistas ao redor do mundo, Carlos “Patán” Vidal, membro mais recente do grupo, é um dos mais importantes pianistas de jazz do país; da Espanha, o guitarrista Diego “Twanguero” García é vencedor do Grammy Latino por seu trabalho com o cantor de flamenco Diego El Cigala; e do Brasil, Nanan, é músico e ambientalista conhecido mundialmente pela canção “Casa da Floresta”.

 

Sobre o processo de cantar os mantras em sânscrito, La Charo afirma:Gravar mantras é um processo de aprendizagem contínuo, pois tenho que cantar em línguas que não são coloquiais, nem de práticas espirituais típicas do nosso continente. Tenho sangue Guarani e estou habituada a cantar nas línguas ancestrais do meu povo e de outros povos irmãos da América do Sul. Esta é uma viagem à Índia através do som. Aprender a pronúncia dos mantras foneticamente, captando o significado do que dizemos para expressá-lo desde o espírito, é um processo muito enriquecedor a nível musical e pessoal”.


Em Mantras On The Beach, o grupo cria uma trilha sonora que passa por diferentes momentos até alcançar a quietude do savasana, postura de repouso profundo da yoga. O disco tem início com Ganesha, mantra utilizado na Índia para iniciar celebrações e remover obstáculos. Yogi homenageia os professores espirituais e o pai de Enzo Buono, que faleceu após uma batalha contra o câncer. Em Anamaya, é retratado o corpo físico, enquanto em Svasti se pede bençãos para 100 primaveras. Gayatri convida à meditação sob a luz suprema da criação. Varanasi, por sua vez, celebra a cidade indiana homónima e as águas sagradas do rio Ganges. Chakra se volta à energia da Kundalini e Sarvesham ao desejo pela paz. Shariputra é a última faixa, composta apenas de instrumentais que encerram a jornada do álbum.

Capa por Pedro Roth

 

Capa 

 

A arte da capa é assinada por Pedro Roth, artista húngaro de 85 anos responsável por todas as capas de músicas da Kosmik Band lançadas até o momento. Sobrevivente do Holocausto e residente em Buenos Aires, Roth recebeu em 2023 o Prêmio Nacional que reconhece a importância de sua trajetória artística, oferecido pelo Museu Nacional de Belas Artes em parceria com o Ministério da Cultura do país. 

 

Trajetória da banda

 

O embrião do grupo surgiu pela primeira vez na década de 2000, altura em que Enzo, inspirado por um retiro espiritual que frequentou na Índia, desafiou-se a transformar os mantras “lentos e contemplativos” que aprendeu “em algo que as pessoas pudessem dançar”. 

 

Dessa missão surgiu, em 2009, um projeto, inicialmente chamado La Oneness Band, que cruzava a transcendência indiana com os sons das latitudes que descobriu enquanto produtor da Playing For Change, instituição de ação social através da música com a qual viajou a países como a República Democrática do Congo, a Jamaica, Cuba, o Senegal ou o Mali.

Depois de conhecer Nanan, em 2019, não tardou a descobrir um novo grupo: à identidade sonora que Enzo estava a recolher pelo mundo fora, Nanan acrescentou “o toque mágico brasileiro”. Mais tarde, somaram-se ao grupo La Charo, Diego “Twanguero” García e Patan.

FICHA TÉCNICA

 

Mantras On The Beach

 

  1. Ganesha (Enzo Buono / Nanan)
  2. Yogi  (Enzo Buono)
  3. Anamaya (Enzo Buono)
  4. Svasti (Enzo Buono / Nanan)
  5. Gayatri (Enzo Buono)
  6. Varanasi (Enzo Buono)
  7. Chakra (Enzo Buono)
  8. Sarvesham (Enzo Buono)
  9. Shariputra (Carlos Rodgarman)

 

Ganesha

Piano: Ernesto Jodos

Rhodes: Patán Vidal

Guitarra acústica: Diego Twanguero García

Contrabaixo: Mariano Otero

Vocais: Nanan e La Charo

Backing Vocal: Enzo Buono

Produção musical: Enzo Buono

Assistência de produção: Damian Roth

Engenharia de som: Guido Nisenson

Assistência de engenharia de som: Esmeralda Cuneo e Bautista Filgueira

Mistura e masterização: Greg Morgenstein

 

Yogi

Piano e Rhodes: Patán Vidal

Guitarra acústica: Enzo Buono

Contrabaixo: Mariano Otero

Vocais: Nanan e La Charo

Produção musical: Enzo Buono

Assistência de produção: Damian Roth

Engenharia de som: Guido Nisenson

Assistência de engenharia de som: Esmeralda Cuneo e Bautista Filgueira

Mistura e masterização: Greg Morgenstein

 

Anamaya 

Piano: Patán Vidal

Vocais: Nanan e La Charo

Produção musical: Enzo Buono

Assistência de produção: Damian Roth

Engenharia de som: Guido Nisenson

Assistência de engenharia de som: Esmeralda Cuneo

Mistura e masterização: Greg Morgenstein

 

Svasti / Gayatri / Varanasi / Chakra

Piano e teclado: Patán Vidal

Vocais: Nanan e La Charo

Produção musical: Enzo Buono

Assistência de produção: Damian Roth

Engenharia de som: Guido Nisenson

Assistência de engenharia de som: Esmeralda Cuneo

Mistura e masterização: Greg Morgenstein

 

Sarvesham 

Teclado: Enzo Buono

Vocais: La Charo e Esmeralda Cuneo

Produção musical: Enzo Buono

Assistência de produção: Damian Roth

Engenharia de som: Guido Nisenson

Mistura e masterização: Greg Morgenstein

 

Shariputra 

Piano e teclado: Carlos Rodgarman

 

SOBRE A KOSMIK BAND

 

Enzo Buono nasceu em Buenos Aires onde vive atualmente, mas, antes, viveu nos EUA, entre Chicago e Los Angeles, de 1991 até 2022, onde, como bandleader, abriu espetáculos de Peter Frampton, Tito Puente ou Célia Cruz. Como produtor, assinou 16 discos na Índia, com cuja cena musical mantém ligação forte, e trabalhou com a Playing For Change, com a qual promoveu o desenvolvimento económico e social em países em desenvolvimento através da música, percorrendo dezenas de países a colaborar com artistas como Bono, Manu Chao, Jackson Brown ou Tinariwen.

 

Nanan é músico, ambientalista e professor de música. Com o álbum Movimento: Manifesta Sentimento (2019), atingiu reconhecimento mundial por meio do single Casa da Floresta. A digressão do disco passou por países da América do Sul e da Europa, a levar música que respira organicidade e espiritualidade. Atualmente, faz parte de trio com Gustavito e Luizga, com o qual editou o disco O Destino do Clã.

 

Twanguero é Diego García, guitarrista espanhol internacionalmente destacado pela sua sonoridade e estilo de dedilhado característico. A operar na intersecção entre o folk americano, o flamenco e o tango, editou sete discos em nome próprio – The Brooklyn Session (2011), Argentina Songbook (2013), Pachuco (2015), Carreteras Secundarias, Vol. 1 (2017), Electric Sunset (2018) e Carreteras Secundarias, Vol. 2 (2022) – e tocou durante anos com o aclamado músico argentino Andrés Calamaro. Pelo seu trabalho com o cantor Diego El Cigala, é detentor de um Grammy Latino.

 

La Charo é Charo Bogarín, artista argentina multidisciplinar de ascendência indígena cuja carreira se tem focado na valorização do legado folclórico do seu país e na defesa dos seus povos originários. Além de ter integrado diversas longas-metragens como atriz, actua como parte da dupla Tonolec, com que editou sete discos desde 2005, e mantém também seu projeto solo. Em nome próprio editou os discos La Charo (2018), Legado (2019) e, mais recentemente, Formoseña (2022). 

 

Carlos “Patán” Vidal nasceu em Lanús, na Argentina, e começou sua trajetória a tocar bateria. No ensino médio ganhou a alcunha de Patan, por conta do personagem do desenho animado “A Mais Louca Corrida do Mundo” (“Los autos locos” em espanhol). Apaixonado por música negra em todas as suas vertentes, Carlos “Patán” Vidal é hoje um dos pianistas mais requisitados da cena argentina, um verdadeiro soul man que começou na cena blues portenha dos anos 90, até tornar-se colaborador regular de Gillespie e Luis Salinas. Em 2018, editou com Luz González o álbum Insomnia In The Loop

 

 

Fotografia: Kosmik Band por Sol Schiller

Fonte:cafe8.com.br

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar