Futuro Museu de Arte Contemporânea MAC/CCB

195 views

A Fundação Centro Cultural de Belém irá inaugurar, durante o ano de 2023 e em data a anunciar, o Museu de Arte Contemporânea MAC/CCB, nas instalações do Módulo 3. Entretanto manterá em exposição a Coleção Berardo, cumprindo o desígnio de a disponibilizar à fruição pública.

 

A necessidade de um Museu de Arte Contemporânea em Lisboa de vocação internacional corresponde ao desenvolvimento do panorama artístico em Portugal, quer em termos criativos, quer em termos da apetência dos públicos, verificável em outras instituições congéneres. O Centro Cultural de Belém possui o equipamento e o know-how necessários para a sua implementação, bem como espaços de reservas para alojar coleções em depósito, para além da sua localização num contexto patrimonial e cultural único, na cidade de Lisboa.

 

O futuro MAC/CCB irá apresentar coleções (entre as quais a Coleção Berardo, a Coleção Ellipse e a CACE – Coleção de Arte Contemporânea do Estado), bem como exposições temporárias que contribuam para o enquadramento histórico da arte de hoje, produzindo conhecimento, mas também experiência estética no contexto globalizado da arte dos nossos dias.

 

Um Chão Comum

Durante 2023, ao comemorar 30 anos, o Centro Cultural de Belém assume como lema constituir-se como um chão comum para as artes performativas, as artes visuais e a arquitetura.

Completa-se desta forma um ciclo que tem vindo a privilegiar os diálogos entre a diversidade das diferentes expressões artísticas, pensado para todos os públicos: o Centro de Artes Performativas apresenta um programa diversificado, que inclui a música, a dança e o teatro; a área do Pensamento, que pretende contribuir para a reflexão contemporânea, sabendo que o nosso campo é o da arte e da cultura; o Centro de Arquitetura/Garagem Sul, no qual as questões arquitetónicas são objeto de exposições e debates; a Fábrica das Artes que se afirmou como um centro de referência na criação para a infância; e, finalmente, o Futuro Museu de Arte Contemporânea/CCB que acolherá coleções consideradas fundamentais, bem como exposições temporárias. O CCB inclui também um Centro de Congressos e Reuniões, que completa a sua missão, com uma diversificada oferta de serviços, lojas e restaurantes.

É entre estes mundos que construímos um chão comum.

 

Exposições abertas ao público:

 

Coleção Berardo Minimalismos e Conceptualismos

Exposição permanente | Piso: -1 | Curadoria: Rita Lougares

Nesta galeria, a apresentação da coleção inicia-se em obras da década de sessenta, com as primeiras experiências minimalistas, baseadas em ideias de despojamento, simplicidade e neutralidade, construídas com materiais industriais. São obras que pressupõem a interação e a perceção do observador, incitando-o a novas experiências. Esta tendência contemporânea — voltando-se para o espaço, incorporando e/ou transformando a obra — é explorada também pelos desdobramentos pós-minimalistas e conceptuais.

 

Coleção Berardo do Primeiro Modernismo às Novas Vanguardas do Século XX

Exposição permanente | Piso: 2 | Curadoria: Rita Lougares

Neste piso, o percurso começa com obras do início do século XX e com a vertiginosa sucessão das chamadas vanguardas históricas que moldam a história de arte de então: o cubismo, o construtivismo, o dadaísmo, o neoplasticismo, a Abstraction-Création e o surrealismo. Estas correntes vêm desafiar os cânones tradicionais — a representação ilusionista do mundo através da perspetiva — em virtude de novas experiências, como a geometrização das formas na pintura não figurativa, as colagens e as assemblages, que alteram por completo o conceito, a natureza e a função da obra de arte. Já não se pretende reproduzir fielmente a realidade do mundo, mas sim dar a possibilidade aos artistas de se expressarem e de se interrogarem sobre os processos e os fins da arte.

Dos Pés à Cabeça

Exposição temporária | Piso: -1 | Curadoria: Cristina Gameiro

Dos Pés à Cabeça é uma exposição sustentada na representação do corpo nos diversos suportes artísticos, pensada para crianças mas para ser vista por toda a família. Constituída por obras da Coleção Berardo, a exposição inclui artistas como Henri Michaux, Jean Dubuffet, Caetano Dias, Peter Blake, Fernando Lemos, Ângelo de Sousa, Helena Almeida, Georg Baselitz, Keith Haring, Ana Mendieta e Álvaro Lapa, entre outros.

 

 

Informações úteis:

 

Nova Entrada

Pelas Bilheteiras do CCB

 

Novo Horário de funcionamento

De terça a domingo | 10:00 às 19:00 (última entrada às 18:30)

Encerra à segunda-feira

Gratuito no primeiro domingo de cada mês.

 

Acesso

A entrada para o Museu deve ser feita pelas Bilheteiras do CCB uma vez que, ao longo do primeiro semestre de 2023, serão levadas a cabo obras de remodelação em alguns espaços.

 

Onde comprar

Na bilheteira do CCB (Segunda a domingo | 10:00 às 19:00)

Na Ticketline (para evitar filas, compre o seu bilhete online)

Telefone: (+351) 21 361 26 27

E-mail: bilheteiraccb@ccb.pt

Preços e Descontos: 5€

 

Descontos

50 % — visitantes de 7–18 anos

50 % — estudantes

50 % — visitantes com mais de 65 anos

50 % — visitantes com mobilidade reduzida

30 % — Lisboa Card

30 % — Cartão Sócio Gerador

30 % — Membros Clube P, do jornal Público

 

Entrada Livre

Até 6 anos

Acompanhantes de pessoas com deficiência

Cartão CCB

Desempregados

Membros ICOM

Antigo combatente

Viúva ou viúvo de antigo combatente

 

Contactos

Telefone geral: (+351) 21 361 24 00 |E-mail:  ccb@ccb.pt

 

Fonte: museuberardo.pt

 

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar