Filmin é a parceira oficial da secção Boca do Inferno do Indielisboa

127 views

Pela primeira vez no Indielisboa, a FILMIN é a patrocinadora oficial da secção mais irreverente e outsider do festival, a secção Boca do Inferno.

Boca do Inferno traz-nos os filmes mais recentes de horror, thriller, e gore. No entanto, o programa não se tranca nas temáticas de terror e expande-se também pelo humor, cultivando a habituação a uma cinefilia dark, sarcástica e absurda.

Como forma de apoiar o consumo de cinema mais alternativo, a FILMIN vai oferecer ao público que for às sessões da secção, stickers com um código promocional que dá acesso a todo o conteúdo da plataforma Filmin, durante um mês. Esta oferta acontece durante o Indielisboa, a partir de hoje até 2 de Junho.

Igualmente, no dia 31 de Maio, a FILMIN tem uma oferta especial para o público que vá à sessão mais arrojada do festival: a Maratona Boca do Inferno. 

Uma sessão maratona que começa às 23 horas de 31 de maio e termina às seis da manhã do dia seguinte constituída por filmes que fazem parte da secção Boca do Inferno.

Antes da sessão começar, a FILMIN vai distribuir meias especiais também com códigos de um mês grátis para o público descobrir a plataforma. 

 

Dos filmes já confirmados, destaque para o filme já de culto este ano, Late Night with the Devil, de Cameron e Colin Cairnes, e Cobweb, de Jee-Woon Kim. O primeiro filme leva-nos à gravação perdida de um episódio de Halloween de um talkshow de 1977, onde as entrevistadas são uma parapsicóloga e uma rapariga que aparenta ser a única sobrevivente de um suicídio em massa de uma igreja satânica. Dentro do tema, o segundo traz-nos uma comédia sobre um realizador (interpretado por Song Kang-Ho, protagonista de Parasitas) que resolve aprisionar os censores do seu filme até que consiga fazer a sua obra-prima.

Rotting in the Sun, de Sebastián Silva, é uma comédia que lida com o encontro entre o realizador e um famoso actor numa praia gay, até que o realizador desaparece contribuindo para a escalada da tensão dentro da narrativa do filme. The Royal Hotel, de Kitty Green, acompanha a mudança e o novo trabalho de duas raparigas na Austrália, explorando a sua a relação tóxica com este novo espaço, bem como com as pessoas que o frequentam.

L’Empire de Bruno Dumont, mistura de forma sarcástica uma invasão ao planeta por forças interestelares numa localidade balnear francesa onde nada fora do comum costuma acontecer. Menos conhecidos do grande público, mas com muito para oferecer, estão as estreias nacionais de Steppenwolf de Adilkhan Yerzhanov (Cazaquistão), que reivindica um estilo Western Mad Max, mas muito mais bruto e muito mais violento.

Exibe-se, ainda, a comédia sarcástica Le Vourdalak, de Adrien Beau, que se inspira num conto de Aleksei Tolstoi para nos trazer uma história vampiresca que nos apresenta um monstro que é uma espécie de fantoche.

Por fim, e ainda de mencionar, as curtas-metragens: Sweet Juices de Will Suen e Sejon Im, Fishmonger de Neil Ferron, Birds Whose Legs Break Off, de Dirk Verschure, Transylvanie, de Rodrigue Huart, e The Lovers, de Carolina Sandvik.

 

 

Fonte: Filmin

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar