Em fevereiro, o Museu de Lisboa estende a mão ao santo casamenteiro

978 views

No mês em que se celebra o Dia dos Namorados, o Museu de Lisboa preparou uma programação especialmente dedicada ao Santo António, casamenteiro e padroeiro dos namorados. No fim de semana que antecede este dia, o Museu desafia o seu público para um selfie-paper muito especial, para uma visita ao núcleo do Santo António e para uma atividade para toda a família. Uma instalação no pórtico do núcleo irá ainda relembrar a ligação do santo aos casais e ao amor.

Como já se tem vindo a tornar tradição, o Museu de Lisboa dedica o fim de semana de 12 e 13 de fevereiro ao papel de Santo António na tradição matrimonial lisboeta. Através de uma programação composta por uma visita, um percurso, uma oficina para famílias e uma instalação no seu pórtico, o núcleo do Santo António relembra e celebra as diversas tradições associadas ao santo casamenteiro, como as quadras românticas, a oferta de manjericos e os castigos aplicados a estatuetas do santo. No largo de Santo António, o Museu desafia o seu público a tentar a sua sorte, atirando uma moeda à estátua que aí se encontra.

No Teatro Romano, o Museu de Lisboa dá continuidade ao ciclo de palestras «À Mesa no Teatro Romano», desta feita com a intervenção da bióloga Ireneia Melo, sobre fungos e cogumelos na Roma antiga, e apresenta uma nova edição da revista Scaena, uma publicação do Museu dedicada exclusivamente a arqueologia. Tendo por título «O rio como horizonte: o outro palco do teatro romano», o número III da revista reúne os textos das palestras aí apresentadas entre janeiro de 2020 e março de 2021.

Para além da programação regular de visitas orientadas, percursos, palestras e oficinas para famílias, o Museu de Lisboa oferece ainda no Palácio Pimenta a programação paralela da exposição «Lisboa Clichê», uma mostra de fotografia de Daniel Blaufuks. Extensão do tema abordado nesta série de trabalho fotográfico, esta programação inclui uma conversa entre Daniel Blaufuks, Sérgio Mah e Rita Palla Aragão, e uma visita à exposição, guiada pelo artista. Esta exposição estará patente até dia 27 de fevereiro, no Pavilhão Preto do Palácio Pimenta.

Para além de dar continuidade ao programa de visitas temáticas «O Museu e a Cidade», desta feita com a visita à Lisboa romana, é ainda em fevereiro que o Museu de Lisboa inaugura mais uma série de percursos dedicados aos lugares invisíveis da escravatura em Lisboa, inseridos no programa Percorrer Lisboa de 2022.

«Destino Lisboa» é o primeiro de três percursos pela cidade concebidos pelo Museu de Lisboa, que se destinam a tornar visíveis alguns dos lugares que marcaram a vida quotidiana da imensa população escravizada que povoou Lisboa ao longo de séculos. A não perder, no próximo dia 20 de Fevereiro.

 

Fonte: Museu de Lisboa

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar