Ciclo Abril Abriu do D. Maria II

129 views

O ciclo Abril Abriu, do Teatro Nacional D. Maria II, continua a ocupar vários espaços da cidade de Lisboa, com espetáculos, lançamentos de livros e uma exposição, que pretendem refletir sobre os valores e a história da democracia portuguesa, com um olhar apontado para o futuro, celebrando “as portas que Abril abriu”. Esta semana, são três os espetáculos que se apresentam na capital, no âmbito deste ciclo, realizado em parceira com a Comissão Comemorativa dos 50 anos do 25 de Abril, a Câmara Municipal de Lisboa e a EGEAC.

No Centro Cultural de Belém, de 8 a 12 de maio, apresenta-se descobri-quê?, espetáculo que resulta da colaboração dos criadores da Estrutura (Cátia Pinheiro e José Nunes) com o artista, performer e arte-educador Dori Nigro. Dirigido ao público juvenil, descobri-quê? pretende contribuir para a descolonização – enquanto gesto inacabado, portanto constante e continuado – do ensino do período histórico designado como “descobrimentos”, quebrando uma série de narrativas oficiais que romantizam esta época. Depois de ter viajado por mais de uma dezena de localidades em Portugal em 2023, no âmbito do projeto Odisseia Nacional, do D. Maria II, o espetáculo é agora pela primeira vez apresentado em Lisboa.

A partir de quinta-feira, dia 9 de maio, e até domingo, dia 12, é a vez de Mercado das Madrugadas, uma ideia original de Patrícia Portela, ocupar o Largo de São Domingos, junto ao edifício do D. Maria II, no Rossio, atualmente encerrado para obras de requalificação. Um espetáculo de rua e de entrada livre, Mercado das Madrugadas pretende incentivar o público a juntar-se a uma celebração e reflexão conjunta sobre o que poderá ser o amanhã, num mercado composto por bancas, histórias, música, comida, dança, ideias, entre outras partilhas. Com texto e encenação de Patrícia Portela, este Mercado conta com interpretação de Ana Rocha, Beatriz Teodósio, Célia Fechas, David Costa, Diogo Dória, Elsa Bruxelas, Fred Botta, João Grosso, Miguel Abras, Miguel Baltazar, Mónica Coteriano, Sara Alexandra e Vânia Rovisco.

Também a partir de dia 9 de maio, o público lisboeta vai poder voltar a ver Casa Portuguesa, espetáculo com texto e encenação de Pedro Penim, que se estreou no Teatro Nacional D. Maria II em 2022. Depois de ter viajado pelo país no ano passado, com o projeto Odisseia Nacional, Casa Portuguesa regressa agora a Lisboa, para uma temporada no Teatro Maria Matos, entre 9 de maio e 7 de julho, numa parceria com a Força de Produção, no âmbito do projeto D. Maria Matos.

Com Carla Maciel, João Lagarto, Sandro Feliciano e Fado Bicha (Lila Tiago e João Caçador) no elenco, Casa Portuguesa conta a história (ficcional) de um ex-soldado da Guerra Colonial que, dialogando com os seus fantasmas, se vê confrontado com a decadência e a transformação do ideal de casa, de família, de país e do cânone da figura paterna. Um retrato do que foi, do que é e do que poderá ser (ou não ser) a célula familiar patriarcal por excelência, a casa, tendo como pano de fundo os acontecimentos recentes da democracia portuguesa.

O ciclo Abril Abriu marca o regresso do Teatro Nacional D. Maria II a Lisboa, com uma programação que, até julho, apresenta 18 espetáculos, lançamentos de livros e uma exposição em vários espaços da capital. Mais informações e programa completo do ciclo Abril Abriu disponíveis aqui e em tndm.pt.

Fonte: tndm.pt

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar