Uma Vida Singular

800 views

A extraordinária história verídica de Sir Nicholas Winton, apelidado de «Schindler britânico», chega às livrarias no dia 26

Agora adaptado ao cinema, Uma Vida Singular estreia na próxima semana em Portugal, num filme protagonizado por Anthony Hopkins (no papel de Nicholas Winton).

A LeYa/ ASA publica, a 26 de março, Uma Vida Singular, a biografia de Sir Nicholas Winton escrita pela sua filha Barbara Winton. Atualmente, existem no mundo cerca de seis mil pessoas que devem a sua vida a Nicholas Winton: são as descendentes de um grupo de 669 crianças refugiadas que ele salvou do horror nazi em 1939. Devido a este feito extraordinário, Winton foi apelidado de «Schindler britânico» e nomeado cavaleiro pela Rainha Isabel II. Com o objetivo de preservar a incrível e inspiradora história do seu pai, Barbara Winton recorreu a memórias, documentos e testemunhos para escrever Uma Vida Singular. O livro foi adaptado ao cinema, num filme protagonizado por Anthony Hopkins (no papel de Nicholas Winton) que estreia em Portugal a 28 de março.

Em 1938, “Nicky”, de 29 anos, cancelou umas férias na neve para conceber um plano aparentemente impossível: salvar centenas de crianças judias da perseguição nazi e encontrar-lhes um lar no Reino Unido. O que terá motivado um homem comum a fazer algo tão extraordinário? Não foi seguramente o desejo de fama e reconhecimento, pois os seus feitos humanitários permaneceram desconhecidos durante quase cinquenta anos. Mas em 1988, foi convidado a assistir a um programa de televisão da BBC e tudo mudou. Foi apenas quando estava sentado na plateia e já em direto que Nicholas soube estar rodeado de dezenas das crianças que ajudara a salvar, bem como muitos dos seus filhos e netos. Inadvertidamente, Nicholas Winton protagonizou um dos momentos mais comoventes da história da televisão. O mundo emocionou-se, a imprensa britânica celebrou-o, apelidando-o de “Schindler britânico”. Em 2003, foi nomeado cavaleiro pela Rainha Isabel II pelos “serviços prestados à humanidade”. Sir Nicholas Winton morreu em 2015, com 106 anos.

«O desejo do meu pai para a sua biografia (…) é que eu não promova a veneração de heróis ou a necessidade de revisitar continuamente a história, mas que consiga inspirar as pessoas, levando-as a reconhecer que também elas podem agir eticamente no mundo e fazer uma diferença positiva na vida dos outros em qualquer área que as motive fortemente, quer se trate de crises internacionais ou, mais perto de casa, na sua própria comunidade.» Afirma Barbara Winton na introdução de Uma Vida Singular, citando o seu pai: «Se algo não é impossível, então deve haver maneira de o fazer

Barbara Winton, filha de Nicholas e Grete Winton, nasceu em 1953 e morreu em 2022, aos 69 anos. Barbara partilhava com o pai a humanidade profunda, a persistência, a determinação e a empatia, inabaláveis mesmo perante os maiores obstáculos. Tornou‑se uma ativista fervorosa, continuando o trabalho dele de apoio a crianças refugiadas, tendo criado o Sir Nicholas Winton Memorial Trust [Fundo em Memória de Sir Nicholas Winton], que o seu marido, Steve, e os seus filhos, Laurence e Holly, mantêm vivo.

Com tradução de Ana Saldanha, Uma Vida Singular chega às livrarias no dia 26 de março numa edição da ASA com 320 páginas e um PVP de €18,90. O livro encontra-se disponível em pré-venda online.

 

Fonte: LeYa

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar