Técnicos e utentes da Santa Casa realizadores por 48 horas

492 views

Quando viram a oportunidade de poder participar na edição de 2019 do “The 48 Hour Film Festival”, uma competição anual de curtas-metragens que se realiza em Lisboa, alguns profissionais e utentes do Centro Social de São Boaventura e da Unidade W Mais, ambos equipamentos da Santa Casa, tornaram-se realizadores por alguns dias, de modo a poderem partilhar as suas experiências e vivências diárias para o grande ecrã.

“Filmes da Menina” foi o nome do trabalho realizado pela equipa do Centro Social de São Boaventura, que juntou cerca de vinte participantes, entre utentes jovens e idosos, além dos técnicos da Santa Casa. Este projeto visou, para além da apresentação do filme, promover a intergeracionalidade entre utentes e estimular a criatividade e a aprendizagem, independentemente da idade, com a aquisição de conhecimentos na área do cinema e artes visuais. Ao mesmo tempo, este projeto apostou também no desenvolvimento do sentimento de pertença enquanto grupo intergeracional, através de um objetivo comum, e no desenvolvimento do sentido crítico, autoconfiança e autoestima dos participantes.

Este filme tem uma grande carga simbólica, uma vez que no terceiro andar do edifício onde funciona o Centro Social de São Boaventura encontra-se o quarto da filha da benemérita Carolina Augusta Picaluga Paiva de Andrade, que doou este espaço à Misericórdia de Lisboa há mais de um século. Na altura, o único pedido feito por Carolina de Andrade foi que o quarto da sua filha, que morreu de tuberculose aos 22 anos, se mantivesse inalterado e que não mudassem a disposição dos móveis, vontade que é cumprida escrupulosamente pela Santa Casa até aos dias de hoje.

A concorrer pelo segundo ano consecutivo, os jovens utentes da Unidade W Mais realizaram “Take W”, uma “curta” que se viria a revelar vencedora, conquistando quatro prémios: prémio do público; prémio melhor uso do objeto; prémio visões jovens e ainda uma menção honrosa de interpretação.

Este projeto espelhou as experiências pessoas de vários jovens que têm sido acompanhados naquele equipamento da Santa Casa. Inicialmente pensado para intervir junto de jovens em risco, a W Mais presta atualmente apoio a utentes de todas as idades, mas continua com um trabalho muito vincado no apoio psicológico aos mais novos. Projetos ligados às artes, como o Teatro Terapêutico ou a participação no “48 Hour Film Festival”, têm tido resultados muito interessantes, procurando contribuir para a prevenção de comportamentos de risco e dar ferramentas diferentes para estes jovens ganharem confiança nas suas capacidades e descobrir talentos escondidos.

Para os profissionais e utentes da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, a participação no “48 Hour Film Festival” foi um enorme desafio, não apenas pelo facto de estarem a desenvolver um projeto que extravasa em muito os seus conhecimentos técnicos, mas porque tiveram apenas três dias para poder realizar as suas curtas-metragens. De acordo com as regras da competição, que este ano – apesar da crise de saúde pública provocada pelo Covid-19 – também se deverá realizar, todo o processo criativo – escrita, filmagem, edição e adição de música – terá de ocorrer numa janela de tempo de 48 horas, que começa numa sexta-Feira às 19:00 e termina no domingo às 19:00. Os vencedores de cada género têm depois a possibilidade de concorrer com cineastas de todo o mundo no Filmapalooza e quem vença o Grande Prémio de Melhor Filme do Ano nesta competição vê a sua obra passar no Short Film Corner do Festival de Cannes.

Santa Casa da Misericórdia de Lisboa

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar