Nunca chove na Califórnia: a fragilidade da adolescência nas mãos de um predador.

637 views

Uma estreia deslumbrante, Melhor Realizadora no Festival de Cinema de Sundance, que gira em torno de uma relação tóxica entre uma rapariga de 17 anos e um homem na casa dos 30.

O filme estreia em exclusivo na plataforma 22 de Junho. 

A Filmin estreia no dia 22 de Junho, em exclusivo em Portugal, Nunca chove na Califórnia (Palm Trees and Power Lines no título original), a primeira longa-metragem de Jamie Dack, que ganhou o prémio de Melhor Realizador no Festival de Sundance e foi unanimemente aclamado.

O filme, um drama americano de 110 minutos, capta a delicada complexidade e a vulnerabilidade de uma adolescente perdida na sua identidade através da história de Lea (Lily McInerny) que, aos 17 anos, se apaixona por um rapaz de 34 anos, Tom (Jonathan Tucker), um sedutor carismático que lhe abre as portas de novos mundos e descobre a vida fora do seu círculo, do qual a vai afastando gradualmente com intenções duvidosas.

O Festival de Cinema de Sundance premiou a realizadora estreante Jamie Dack pela sua direcção magistral nesta exploração assombrosa dos sentimentos de solidão e desespero, e que, muitas vezes, empurram raparigas adolescentes vulneráveis para relações tóxicas e perigosas com homens mais velhos do que elas.

Na hora de retratar a história, Dack, a realizadora e argumentista, explica que queria explorar que tipo de situação poderia levar uma rapariga como Lea a aproximar-se de Tom. 

A jovem passa os dias a apanhar sol, a fumar e colada ao telemóvel, rodeada de rapazes da sua idade num bairro cheio de palmeiras e linhas eléctricas no sul da Califórnia. A mãe (Gretchen Mol) não se preocupa e o pai está ausente.

Lea é um feixe de vulnerabilidades. Ela não sabe o que é ser cuidada e sentir-se amada desta forma. Tom é o primeiro homem que a tem em consideração e que responde às suas necessidadesEle promete acabar com a sua monotonia e insatisfação, mas acaba por exercer um controlo crescente sobre ela e transformar o idílio numa história sinistra de abuso.

Os críticos elogiaram Nunca chove na Califórnia” pelo seu olhar revelador sobre a fragilidade da adolescência e a sua maleabilidade. O Washington Post elogia Dack pela sua “estreia impressionante e ambiciosa”, enquanto a Variety a elogia por contar “uma história magistral de terror de combustão lenta“.
Fonte: filmin.pt

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar