“Noa”, de Susana Cardoso Ferreira integrado no catálogo The White Ravens 2021

1488 views

O livro infantojuvenil “Noa”, com texto de Susana Cardoso Ferreira e ilustrações de Raquel Costa, editado em 2020 pela LeYa/Oficina do Livro, é um dos livros integrados no prestigiado catálogo The White Raven 2021, a mais importante selecção de literatura infantil e juvenil organizada anualmente pela International Youth Library Foundation de Munique, na Alemanha. A nova edição do catálogo foi esta semana anunciada mundialmente. Esta é a segunda vez que Susana Cardoso Ferreira tem um livro seu nesta importante selecção já que, em 2016, o seu livro “Viagens de Chapéu – As Invenções e Indecisões de Dona Amélia Longor” fez também parte da lista The White Ravens.

“Noa”, recomendado pelo PNL2027 dos 9-11 anos, conta a história de uma menina que, após perder os pais num naufrágio de pesca, perde o chão e deixa de falar. Noa vai então morar com o avô Lineu, numa casa com jardim de onde se vê o mar que ela não quer ver. Nesta nova vida a dois, feita de silêncio, a felicidade não parece ao alcance de avô e neta, mas tudo começa a mudar quando no seu caminho se cruzam um corvo, que gosta de fazer companhia e de oferecer presentes, uma professora, reformada por culpa da surdez (e desalojada por culpa de uma tempestade) e uma miúda tagarela, determinada a fazer uma nova amiga…. “Noa” é uma ficção escrita magistralmente em verso, sobre a perda e as suas consequências e sobre a redescoberta da alegria de viver, através do valor da amizade. As ilustrações de Raquel Costa complementam o texto dando-lhe a leveza e a alegria que o tema necessita.

Sobre as autoras

Susana Cardoso Ferreira é licenciada em Biologia e pós-graduada em Técnicas de Avaliação e Intervenção Psicoeducativa em Contextos Escolares e Sociocomunitários e em Jogo e Desenvolvimento da Criança. As histórias foram estando sempre presentes, à solta no mundo das ideias ou rabiscadas numa caligrafia ilegível em cadernos nunca terminados…. A primeira a escapar da gaveta, “Minas, o Lápis Professor” (Plano Nacional de Leitura), foi publicada em 2008. Seguiu-se, em 2010, “Os Pés Mágicos de Jeremias”. Em 2014, venceu o Prémio Maria Rosa Colaço, na modalidade juvenil, com “Viagens de Chapéu – As Invenções e Indecisões de Dona Amélia Longor”, publicado em 2015 (PNL) e selecionado para a lista The White Ravens 2016. Todos os livros foram publicados pela Oficina do Livro/Leya. Desde 2009 trabalha como tradutora de literatura infantojuvenil.

Raquel Costa é artista visual e ilustradora. Nasceu no Porto, formou-se em Artes Plásticas – Escultura e é mestre em Ensino de Artes Visuais. Atualmente, leciona na Escola Superior de Design, do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave. Participa com regularidade em exposições a solo e coletivas, em Portugal e no estrangeiro. Dirige oficinas de ilustração e realiza sessões de desenho ao vivo. É co-fundadora do Little Black Spot Creative Studio, onde trabalha em ilustração e design de comunicação, para os mercados editorial e publicitário. Conta já com diversos livros infantojuvenis ilustrados, para os grupos editoriais Porto Editora, 20|20 e Leya

Sobre o catálogo The White Ravens

Considerado essencial para compreender as mudanças nas tendências editoriais e os desenvolvimentos nas publicações para a infância e juventude, o The White Ravens, que este ano celebra o seu 35º aniversário, anunciou esta semana a publicação da edição de 2021, tendo os seus responsáveis destacado o aumento claro da relevância dos livros para estes público em todo o mundo, mesmo em países onde a Educação é de menor qualidade e o acesso aos livros não é fácil. Segundo a International Youth Library, nota-se também uma maior variedade de tópicos: temas como a natureza e a protecção do planeta e do clima, a identidade cultural, as mensagens anti-racistas e a diversidade, ou os direitos dos povos indígenas estão cada vez mais presentes na literatura para os mais novos, sendo que muitos livros abordam temas e eventos históricos ou temáticas políticas e sociais atuais. Por outro lado, revelou aquela entidade, em certos países alguns conteúdos sensíveis e controversos abordados em livros têm sido alvo de avisos e proibições, nomeadamente os que se relacionam com questões LGBTQ+.

Os livros recomendados na edição deste ano foram escolhidos pelo colectivo de linguistas da International Youth Library com a ajuda de uma alargada rede de especialistas em literatura infantil e juvenil de todo o mundo, que tem como critérios a qualidade literária e/ou ilustrativa, a relevância dos tópicos abordados, a originalidade, as abordagens inovadoras ou o design.

O catálogo The White Ravens tem como objetivo destacar e promover os livros de elevada qualidade destinados a crianças e jovens adultos, tendo-se tornado, ao longo dos anos, uma ferramenta indispensável para todos os que pretendem estar a par das tendências nesta área e que procuram obras e autores além das suas fronteiras geográficas e linguísticas, sejam eles editores, livreiros, bibliotecários, educadores, académicos ou pais.

Este ano, a seleção The White Ravens integra 200 títulos de 54 países e em 38 línguas, entre livros ilustrados, histórias e romances, contos de fadas e poemas, novelas gráficas, não ficção e biografias, tanto destinados a crianças como a jovens adultos.

O catálogo The White Ravens 2021 pode ser solicitado através do email info@ijb.de ou descarregado gratuitamente através do site da International Youth Library (www.ijb.de) ou do link bit.ly/WhiteRavens2021.

 

Fonte: Leya

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar