Navio de Espelhos

278 views

Casa da Liberdade – Mário Cesariny apresenta Navio de Espelhos, exposição do Colectivo BorderLovers integrada na Temporada cruzada Portugal-França, 2022.

A mostra inaugura dia 18 de junho, às 18h, em Alfama, estabelecendo uma ligação entre Cesariny e Rimbaud.

No dia 18 de junho, quando passam 73 anos sobre a 1.ª exposição do antigrupo surrealista português “Os Surrealistas”, fundado por Cruzeiro Seixas e Mário Cesariny, inaugura na Casa da Liberdade – Mário Cesariny, em Alfama, a exposição Navio de Espelhos.

De autoria do Colectivo BorderLovers, com Ivo Bassanti e Pedro Amaral, a mostra integra a programação oficial da Temporada Portugal França 2022 partindo do conceito “Casais de Sonho/Couples de Rêve”, de João Pinharanda, e do projeto curatorial de Carlos Cabral Nunes.

Navio de Espelhos versa a relação entre Mário Cesariny e o Arthur Rimbaud e a fusão dos dois movimentos surrealistas – o de Paris, liderado por André Breton e o de Portugal, liderado por Mário Cesariny. A exposição conta com retratos dos protagonistas, reinterpretações e obras criadas propositadamente para o local que dialogaram com obras de mestres representativos dos dois movimentos surrealistas, nomeadamente, Pablo Picasso, Salvador Dalí, Wilfredo Lam, Victor Brauner, entre outros autores integrados na Coleção Lusofonias, cujos percursos artísticos são reflexo deste imaginário.

Em virtude da inauguração de Navio de Espelhos, o Colectivo Multimédia Perve, associação que dirige artisticamente os espaços de exposição em Alfama afetos às Perve Galeria, comunica que fará coincidir, nessa data, a inauguração de um novo espaço expositivo, o 27 Art, projeto experimental de arte pública em Alfama, dedicado à arte contemporânea. A primeira exposição neste espaço, que estará aberto 24h por dia, 7 dias por semana, estará patente até ao final de julho e articulará instalações sonoras com arte urbana e escultórica dos artistas do Coletivo BorderLovers e Marco Brás, artista Luso-Moçambicano a viver em Nova Iorque há década e meia. Ainda neste dia, 18 de junho, no espaço 27 Art, será realizado um happening pelo Colectivo BorderLovers, assinalando assim o início do ciclo de intervenções artísticas programadas para os meses entre junho a setembro. A Instalação sonora incorpora trechos musicais compostos, ao longo dos anos, para exposições apresentadas na Perve Galeria, por artistas tais como Vítor Rua, Carlos Zíngaro, Adolfo Luxúria Canibal & Estilhaços e Beezy Bailey com Brian Eno, entre outros.

— Informação complementar sobre a exposição —

O ciclo reviver “Os Surrealistas”, realizado em 2019, contou com quatro exposições e a curadoria de Carlos Cabral Nunes. As mostras, apresentadas nesse ano entre junho e setembro, decorreram na Perve Galeria, Casa da Liberdade – Mário Cesariny, Galeria aPGn2 – A PiGeon too e atmosfera Lisboa, por ocasião do ciclo de Celebração dos 70 anos da 1.ª exposição, em junho de 1949, do antigrupo fundado por Cruzeiro Seixas, Mário Cesariny e restantes companheiros d’aventura Surrealista: Pedro Oom, Henrique Risques Pereira, António Maria Lisboa, Mário Henrique Leria, Fernando José Francisco, Carlos Eurico da Costa, Carlos Calvet, Fernando Alves dos Santos, António Paulo Tomaz, João Artur da Silva. Terá sido nesta data que se deu em Lisboa o ato inaugural da modernidade que influenciou sucessivas gerações de autores, evocados e recordados também nesse ciclo, em diferentes locais da capital.

Por seu lado, a inauguração, neste ano de 2022 e após todo o processo pandémico que temos vivido, de Navio de Espelhos, pelo Colectivo BorderLovers, recupera também a homenagem realizada a Cruzeiro Seixas, falecido em 2020, e que contou com exposições em Portugal, Espanha e Inglaterra.

Unidos por uma paixão comum pela representação, pela apropriação, pela tinta, pela quantidade e pelo improviso, Pedro Amaral e Ivo Bassanti formam em 2017, em França, o coletivo artístico BorderLovers que assume incluir na sua prática artística noções de esperança, espiritualidade, pacificação e cura, temperados por um dadaísmo de fundo. A evocação e representação de autores, artistas e pensadores do seu país em diálogo com autores de outros países tem servido esse propósito: fizeram-no em Portugal, França e Luxemburgo, em colaboração com as embaixadas e centros culturais portugueses locais relacionando, por exemplo, nomes como: Amália Rodrigues e Edith Piaf, Manoel de Oliveira e Jean Renoir, Amadeo de Sousa Cardozo e Modigliani ou Fernando Pessoa e Marcel Proust.

No que concerne o espaço 27 Art, a iniciativa decorre na Rua das Escolas Gerais n.º27 e é o primeiro espaço devoluto, em Alfama, a ser capacitado, com o apoio da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, no âmbito do Programa BIP/ZIP 2021 – Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária de Lisboa, para receber exposições e programação artística que visa incentivar a fruição artística regular nas suas diversas formas e manifestações.

Sobre os artistas e obras em destaque nesta primeira exposição, realça-se Marco Brás, escultor português, nascido em Moçambique e a residir nos EUA, em Nova Iorque, há mais de 15 anos, responsável por todas as intervenções em pedra presentes nas instalações da Perve Galeria, realizadas no ano 2000, aquando do início da sua atividade; o Colectivo BorderLovers, com o seu projeto voltado para a arte urbana e os registos sonoros de Vítor Rua, Carlos Zíngaro, Adolfo Luxúria Canibal & Estilhaços, Beezy Bailey e Brian Eno realizados ao longo dos anos, em exclusivo, para exposições apresentadas em Alfama.

 

Fonte:

Casa da Liberdade – Mário Cesariny  | Instituição artística e museológica fundada em 2013

Perve Galeria | Alfama e Alcântara, Lisboa, fundada no ano 2000

Colectivo Multimédia Perve | Associação Juvenil e Cultural sem fins lucrativos, fundada em 1997

Mais informações: www.pervegaleria.eu

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar