MeaJazz – 1º Festival de Jazz da Mealhada

1155 views

MeaJazz 2017 – 30 junho e 1 julho na Mealhada

A Câmara Municipal da Mealhada promove nos dias 30 de junho e 1 de julho o MeaJazz – 1o Festival de Jazz da Mealhada. O evento vai acontecer na Quinta da Nora (centro da cidade, junto ao IC2) e tem entrada livre.

Orquestra Jazz de Leiria

César Cardoso – director artístico; José António Lopes – saxofone alto/soprano; Ivan Silvestre – saxofone alto; Vítor Lopes – saxofone tenor; João Cunha – saxofone tenor; Bruno Homem – saxofone barítono; Diogo Pedro – trompete; André Rocha – trompete
Cláudio Pinheiro – trompete; João Ferreira – trompete; Nuno Carreira – trombone; Rui Correia – trombone; Jaime Pascoal – trombone; Daniel Marques – tuba; Paulo Santo – vibrafone; Adelino Oliveira – guitarra; Pedro Nobre – piano; Diogo Dias – contrabaixo e João Maneta – bateria https://www.facebook.com/orquestrajazzdeleiria/

El Show de Dodó (Espanha)
Marina Sorin – violoncelo, violino, trompete e vozes e Luca Frasca – piano, acordeão, percussão e vozes
http://www.elshowdedodo.com/ https://www.youtube.com/watch?v=EIj50-XMOY4&feature=youtu.be https://www.youtube.com/watch?v=eno0nASczHI

Jeff Davis Trio (Canadá/Portugal)
Jeff Davis – vibrafone; Demian Cabaud – contrabaixo e Marcos Cavaleiro – bateria https://jeffdavismusic.wordpress.com https://www.facebook.com/JeffDavisMusicPro/ https://www.youtube.com/watch?v=ZZDU-YJjcfo&feature=related https://www.youtube.com/watch?v=VJL053ibbUc

Andrea Bucko (Eslováquia) https://soundcloud.com/andreabuckoofficial https://www.youtube.com/watch?v=QgGxk4Es-cc https://www.youtube.com/watch?v=Lu8KURyqDaA https://www.youtube.com/watch?v=iPbYAElRlfY https://www.youtube.com/watch?v=eLu7zNTTeew

The Rite of Trio

André Silva – guitarra; Filipe Louro – contrabaixo e Pedro Alves – bateria

https://www.facebook.com/theriteoftrio https://www.youtube.com/watch?v=LVDOMKtMoh8 https://www.youtube.com/watch?v=nlP6EaKEE9s

José Valente

http://www.josevalente.com/ https://www.facebook.com/josevalentemusica https://josevalente.bandcamp.com/ https://www.youtube.com/watch?v=fp8oFZrLyp4

https://www.youtube.com/watch?v=75tRYQU4PEo https://www.youtube.com/watch?v=y2jkqqZOrDI

Jazz Pá

(Brasil/Portugal) http://www.palcocentral.com/

——————-

Orquestra Jazz de Leiria

A OJL é formada por 19 músicos e tem a direção artística de César Cardoso. Formou-se em Fevereiro de 2011 com o objectivo de criar uma formação de qualidade que reunisse os músicos da região que se dedicassem à prática deste estilo de música.
O repertório engloba desde os clássicos de Count Basie, Duke Ellington, Thad Jones, Ella Fitzgerald, Frank Sinatra, a compositores contemporâneos como Mário Laginha, Bob Brookmeyer, Maria Schneider, Bob Mintzer, Perico Sambeat, Claus Nymark, Filipe Melo, Tomás Pimentel, entre outros.

El Show de Dodó (Espanha)
Espectáculo de sonho, fantasia e humor
O espectáculo é apresentado de uma forma teatral e remete-nos para o universo do cabaret, através do cenário, música e da própria interpretação.
Sonho, fantasia e humor, tudo transpira o ambiente de cabaret.
Ao vivo, os músicos transformam-se em actores e a sonoridade jazz/ragtime transporta-nos para paisagens sonoras que celebram os primeiros filmes mudos.

Jeff Davis

Jeff Davis é um dos grandes virtuosos do jazz nacional, e um dos raros solistas de vibrafone no nosso país. O seu trio, formado em 2010, explora sonoridades influenciadas por trios pianísticos de referência como os de Bill Evans, Keith Jarrett e Brad Mehldau.
Natural do Canadá, Jeff Davis vive desde a infância em Portugal. Estudou percussão clássica na Escola Profissional de Música de Espinho e licenciou-se na Escola Superior de Música e das Artes do Espetáculo com 20 valores, tendo nesse período integrado o Drumming – Grupo de Percussão. Dedica-se ao jazz e entre 2003 e 2006 estuda vibrafone no Berklee College of Music, diplomando-se com distinção e vários prémios. Em 2009 é editado o seu primeiro CD em nome próprio, o aclamado Haunted Gardens (TOAP) em formato de quarteto.

Jeff Davis divide a sua atividade artística entre o jazz e a música clássica: integra vários agrupamentos de câmara e apresenta-se em recital a solo em vários países europeus, interpretando peças a si dedicadas de compositores como Filipe Vieira, Andreia Pinto-Correia, Nuno Costa, Óscar Graça e Paulo Perfeito, entre outros.

José Valente

José Valente nasceu no Porto e estudou viola d’arco no Kaertner Landes Konservatorium na Áustria e jazz na New School for Jazz and Contemporary Music em Nova Iorque.
A irreverência, virtuosismo e contemporaneidade da viola d’arco de José Valente definem um percurso artístico elogiado pela crítica e evidenciado pelos inúmeros projetos de carácter diversificado em que o músico se têm envolvido. Dotado de uma linguagem única, o premiado violetista explora os limites do seu instrumento aplicando na sua obra uma intensa e articulada simbiose de estilos musicais, raramente associáveis ao repertório tradicional para a viola d’arco.

Desde do seu regresso a Portugal, José Valente tem dedicado a sua atenção artística à descoberta de múltiplos desafios criativos que enaltecem novos processos de intervenção musical, de composição e de interpretação. Dessa pesquisa surgem vários projetos musicais, entre os quais, um profícuo trabalho a solo onde reinventa a execução do seu instrumento, atribuindo-lhe linguagens pouco comuns, numa abordagem livre de compromissos estéticos, mas determinada na expressão de um discurso próprio que envolve qualquer público num intenso momento de comunicação musical.

Andrea Bucko (Eslováquia)
Andrea Bučko estudou Teatro na Academy of Performing Arts de Bratislava, no entanto atualmente dedica a maior parte do seu tempo a compor e a tocar piano.
Os dois álbuns que publicou,“In the Middle“ (2012), e “Polarity“ (2015) foram aclamados pela crítica no seu país. Para além destes discos, Andrea Bučko compõe para teatro.
A compositora eslovaca mistura géneros de jazz, indie e world music. As letras (em inglês, francês e eslovaco) refletem a sensibilidade e temperamento das suas composições.

The Rite of Trio

Estudaram nos sítios do costume quando se vive na Invicta, a ESMAE e a Escola de Jazz do Porto. O resto descobriram por eles próprios.
Têm uma abordagem surrealista da música e até da imagem que projetam, com logo próprio, um triângulo de linhas intencionalmente pouco retas (não há retidão na música que tocam) e até uma designação exclusiva para o que propõem: jambacore. Não perguntem o que tal termo quer dizer. Segundo os dicionários, «jamba» é um elemento vertical de sustentação, como uma coluna ou o vão de uma porta e de uma janela.

A música é um misto de jazz com carradas de rock (daí o «core»), e o formato de guitarra elétrica, contrabaixo e bateria só não se traduz numa identidade de power trio porque pelo meio eles largam os riffs para explorarem os sons, improvisando, mesmo que isso signifique perderem a batida.

Jazz Pá

Quarteto composto por professores e alunos da escola de jazz Palco Central, uma das mais conceituadas escolas da região Centro

Fonte: Motivos Alternativos Associação Cultural

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar