Lisboa Soa

412 views

Instalações Sonoras, Concertos, Workshops de Educação Auditiva entre outras atividades no Quartel Largo Residências e Carpintarias de São Lázaro.

Definindo-se como um festival de arte sonora, ecologia e cultura auditiva, o Lisboa Soa procura valorizar a criação artística contemporânea atribuindo-lhe um contexto social e ecológico, de intervenção direta no espaço e fomentando a participação de diferentes públicos através da fruição de instalações e performances sonoras, da participação em oficinas de educação auditiva, de encontros ecaminhadas focadas no sentido da audição.

A edição deste ano vai decorrer, pela primeira vez, no Quartel Largo Residências, o antigo quartel da GNR no Largo Cabeço de Bola, e regressa ao espaço das Carpintarias de São Lázaro, por onde já passou na edição anterior.

Instalações sonorasperformances e workshops de educação e exploração auditiva irão estar acessíveis ao público – a todos os públicos – entre 24 e 27 de Agosto.

Esta será uma edição que ficará marcada por um reforço do número de oficinas que se traduz num aumento exponencial da vertente educativa disponível ao público.
Iremos navegar entre ondas sonoras que revelam as diferentes camadas invisíveis do mundo e que convidam o nosso corpo a experienciar o espaço, estimulando a escuta e desafiando a sensibilidade do público perante fenómenos tantas vezes impercetíveis.

Lisboa Soa convida-nos a mergulhar nesta experiência transformadora, em que a cidade revela a sua paisagem sonora oculta, diversa, em constante mutação.

Esta edição do Lisboa Soa parte da ideia de Multipli.Cidades, procurando destacar a importância de abraçar as diferenças e promover a coexistência entre comunidades, humanas e não humanas, dentro dos espaços urbanos.

A cidade quer-se plural, igualitária, digna, por isso deve respeitar a diversidade e adotar políticas inclusivas como elemento-chave do bem-estar individual e social, como expressão da riqueza cultural e base vital da sua identidade. Sabemos hoje que esses valores estão intrinsecamente ligados aos processos ecológicos e que as desigualdades sistémicas desafiam a capacidade das cidades de alcançar uma sustentabilidade real
refere Raquel Castro, fundadora do Lisboa Soa que acontece desde 2016.

O Lisboa Soa inspira-se em espaços públicos que não são apenas ecologicamente conscientes, mas também socialmente justos e inclusivos. É esta a proposta do Lisboa Soa para o Quartel Largo Residências e as Carpintarias de São Lázaro: criar um espaço coletivo que possibilita a experiência sonora, mas também multissensorial, em ligação íntima com a cidade nas suas múltiplas cidades dentro.

Davide TidoniJutta RavennaLula PenaRafael ToralRudolfo QuintasStefanie Egedy e Tarek Atoui são alguns dos artistas que integram a programação Lisboa Soa 2023.

Programa educativo em: www.lisboasoa.com
Em breve será disponibilizado o programa completo, de uma edição que promete ser única.

SOBRE LISBOA SOA

O Lisboa Soa é um festival de arte sonora, ecologia e cultura auditiva, criado em 2016 por Raquel Castro, que resulta de um longo percurso de pesquisa e dedicação aos estudos do som e da ecologia acústica.

Através de instalações e esculturas sonoras, performances e caminhadas, música gerada por computadores, instrumentos processados ou dispositivos variados como objetos do quotidiano, elementos orgânicos ou dados científicos que se convertem em som, o Lisboa Soa tem o objetivo de enquadrar e focar as pessoas no que estão a ouvir e provocar uma reflexão sobre o ambiente e a sociedade. Estimular a escuta para melhor entender o lugar que ocupamos e despertar uma maior consciência sobre o impacto da presença humana no planeta.

O Lisboa Soa é o primeiro festival em Portugal a focar-se no cruzamento entre arte sonora, ecologia e cultura auditiva, oferecendo a artistas nacionais e internacionais um espaço de experimentação e descoberta, de partilha e comunidade. A programação do Lisboa Soa foca-se na ideia de cidadania e responsabilidade coletiva através da escuta, enquanto princípio elementar para a atenção e empatia. Escutar torna-se, essencialmente, um ato político.

O festival é produzido pela Associação Cultural SONORA, em parceria com a CML/EGEAC, a Largo Residências e as Carpintarias de São Lázaro.

Fonte: creativebysc.eu

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar