‘HONRAR QUEM TRABALHA’

528 views

A obra ‘HONRAR QUEM TRABALHA’ da autoria de Alexandre Farto aka Vhils, vai integrar a fachada do edifício dos Paços dos Concelho, e presta homenagem ao trabalho de Alfredo Cunha que, através da sua lente, cobriu a Revolução dos Cravos, preservando momentos efémeros, e eternizando a essência de uma nação em transformação.

O evento de inauguração daquele que será o maior painel de azulejos de Vhils no país realiza-se na manhã de quinta-feira do dia 25 de abril, e faz parte do programa de celebração de meio século de liberdade e democracia em Portugal, pelo Município da Amadora.

Composto por mais de 4.000 azulejos dispostos em uma área de 88 m2, através de uma técnica em azulejo vidrado desenvolvida pelo conceituado artista português Alexandre Farto aka VHILS, o painel recria uma imagem captada por Alfredo Cunha, durante uma manifestação em agosto de 1975, na qual foi devolvida ao povo a possibilidade de lutar por melhores condições. Tem como principal protagonista um trabalhador da Sorefame, localizada na Amadora. 

 

A interpretação contemporânea de Alexandre Farto aka Vhils, surge a partir de um desafio lançado pelo lendário fotógrafo, e traz a fotografia de Alfredo Cunha do passado para o presente num salto de 50 anos, através de uma peça intemporal que se transformará numa paisagem urbana da primeira ‘Cidade que Nasceu de abril’.

 

Concebido para a Câmara Municipal da Amadora, este projeto único e grandioso pretende ser um espaço de reflexão e apreciação, e destaca a importância de preservar e reinterpretar as narrativas visuais que moldaram a identidade portuguesa, convidando o espectador a mergulhar na história e na alma de Portugal.

 

‘Amadora, Cidade de Abril’
Da música à arte urbana, do cinema à poesia, o Município da Amadora preparou uma intensa programação para celebrar os 50 anos de democracia em Portugal e enaltecer a primeira cidade Pós 25 de Abril.
Entre as várias iniciativas agendadas destaque ainda para a Exposição 25 de abril de 1974, Quinta-feira de Alfredo Cunha (patente na Galeria Municipal Artur Bual até ao dia 23 de junho), a 35ª edição do prémio José Afonso, a 26 de abril, o 12º Amadora Jazz 2024, de 9 a 12 de maio, os espetáculos: ‘Caras de Espelho em Concerto’ e ‘Carlão’, a 14 de setembro, ‘Os Portugueses’ de Rodrigo Leão, dia 15 de setembro, e ainda a edição 2024 da Amadora BD, que decorre de 17 a 27 de outubro (este ano dedicada aos personagens e autores cujos ideais e temáticas se cruzam com os da Revolução dos Cravos).

Amadora, a Cidade que nasceu de Abril Construída pela classe trabalhadora, a Amadora foi a primeira cidade erguida Pós 25 de Abril.  Com um forte papel ativo na expressão e divulgação artística o Município desenvolve regularmente inúmeras atividades que promovem a inclusão e afirmam a sua diversidade no panorama artístico-cultural.

 

Fonte:ban.pt

 

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar