FLOR DO TUA CHEGA COM ROUPA NOVA PARA DESFRUTAR DOS DIAS QUENTES

139 views

A Costa Boal Family Estates acaba de lançar o rebranding das referências do Flor do Tua. A gama de homenagem à região de Trás-os-Montes está de regresso ao mercado com uma imagem renovada, que procura transmitir uma “aura de sofisticação”, mantendo a essência do vinho. “O ramalho de rosas caninas, com relevo saliente e expressivo”, inserido nos rótulos do Reserva Branco 2023, Reserva Tinto 2022 e do Colheita Tinto 2023, assemelha-se quase a “uma escultura”, homenageando, assim, logo no primeiro olhar, “a garra e a elegância das castas transmontanas”, como refere Joana Avô, da Brand Taste, responsável pelo rebranding da imagem. São vinhos repletos de “carácter, frescura e mineralidade”, com algum potencial de guarda, como destaca António Boal, responsável pela empresa. A preparar, ainda, o lançamento dos Grande Reserva, o produtor está confiante que esta mudança na imagem, dando continuidade à estratégia de coesão gráfica da marca, vai ser “apreciada” pelo consumidor, principalmente pela “excelente” relação qualidade preço, para os dias longos que se avizinham. Os Reserva branco e tinto e o Colheita tinto já estão disponíveis e podem ser adquiridos, respetivamente, pelo PVP de 9 e 6 euros.

Lançado no mercado pela primeira vez em 2011, o Flor do Tua rapidamente mostrou que era uma aposta ganha no portfólio de vinhos da Costa Boal Family Estates. “É uma referência da marca, que surpreende pela frescura e pelo aroma inconfundível ao terroir xistoso, do qual é oriundo, representando, desta forma, toda uma região de excelência que é Trás-os-Montes”, adianta António Boal.

Nos Reserva Branco 2023, Reserva Tinto 2022 e Colheita Tinto 2023, já disponíveis no mercado, o destaque é dado às rosas caninas, pertencentes à família das rosáceas e tradicionais do território português. O objetivo é posicionar estas referências vinícolas, oriundas de um património histórico-cultural icónico, mostrando que em causa estão “escolhas refinadas e distintas”, ideais para consumir em várias ocasiões.

“A inclusão do brasão da Costa Boal é um trabalho que temos vindo a realizar desde final do ano passado, e que é uma homenagem à herança familiar e à longa tradição de produção de vinhos de qualidade. Os rótulos ficaram, no geral, menos coloridos, reforçando a cor da cápsula nos detalhes de cada flor”, adianta a designer Joana Avô.

Através do processo de unificação da ilustração dos rótulos, que mantém as cores utilizadas em cada referência, assim como as cápsulas, cruciais para ajudar a identificar cada um dos vinhos, a Costa Boal dá um novo passo na criação de uma “marca mais coesa” e “reforça a sua identidade”. O lettering da gama sofreu, também, ligeiros ajustes.

Para serem consumidos sozinhos ou a acompanhar refeições, tanto o Reserva branco e tinto como o Colheita tinto podem ser bebidos de imediato ou ficar guardados. No branco, que harmoniza bem com saladas, mariscos, peixes e carnes brancas, a temperatura ideal para servir varia entre os 8 e os 10 graus. Já os tintos combinam com carnes vermelhas, de caça, enchidos e queijos intensos, e pedem uma temperatura entre os 16 e os 18 graus.

De referir que a gama em causa, especialmente direcionada para o canal HORECA, já está disponível no mercado.

Sobre a Costa Boal Family Estates

É uma empresa produtora de vinhos do Douro e Trás-os-Montes, liderada por António Boal, herdeiro de uma família de pequenos produtores estabelecidos no Douro desde 1857. A Costa Boal produz vinhos em Douro e Trás-os-Montes. A par, a empresa reforçou laços com o Douro, revitalizando a adega e vinhas de família, localizadas no concelho de Alijó. A compra da Herdade dos Cardeais, em Estremoz, em 2021, marca a entrada da Costa Boal no Alentejo.

Fonte: s3ms.pt

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar