Este Menu de Degustação é FOGO

170 views

A proporcionar uma experiência inesquecível, o chef Alexandre Silva propõe um menu de degustação que permite uma viagem pelos sabores apurados no fogo.

O fogo chega à mesa ainda mais quente com a nova proposta do menu de degustação pelo chef Alexandre Silva, para imergir numa viagem de sabores temperados pelo calor. O novo menu de degustação do restaurante FOGO é uma jornada dos sentidos, repartida por seis momentos: quatro snacks, serviço de pão, dois pratos principais, sobremesa e café.

Nos snacks, a Ostra na Brasa é servida quase como um cartão de visita do restaurante FOGO, que pode ser acompanhada por um tártaro de vaca ou uma barriga de atum, por exemplo. O pão de massa mãe traz consigo um azeite alentejano, um molho de bitoque ou mesmo uma bebida fermentada, feita a partir de desperdício de pão da semana anterior, que vai ao encontro da política de desperdício zero implementada nos restaurantes do chef Alexandre Silva.

Para pratos principais, a sugestão do chef inicia-se pelo peixe e legumes, que se altera consoante a disponibilidade do dia. O peixe, que se quer sempre de excelência, provém sobretudo de Peniche e das Berlengas, com exceção do atum que vem das águas dos Açores.

Em segundo vem a carne com o arroz de forno, como vaca minhota ou porco alentejano. A sobremesa surpreende o paladar com uma proposta de morango grelhado na brasa com fava tonka e trigo serraceno, à qual de segue o momento do café, feito ao lume com um petit four de trufa de alfarroba.

Todos os momentos são adaptados à opção vegan, com propostas como um arroz de caldo de legumes da época e beringela grelhada.

“O menu de degustação foi pensado para elevar ainda mais o distinto sabor oferecido pela tradicional confeção no fogo, que faz sobressair as nuances gastronómicas ao mesmo tempo que nos remete para a tradição e a própria história da Humanidade”, explica o chef Alexandre Silva, proprietário dos restaurantes FOGO e LOCO (1* Michelin). “O fogo é um elemento vivo e todos os dias é diferente. Tem de ser dominado mas dificilmente o conseguimos controlar, o que o torna um desafio constante para trabalhar texturas, crocâncias e sabores. Tudo é cuidado na hora.”

No FOGO, o respeito vai além deste elemento. Aqui são privilegiados os produtos portugueses e a sua excelência, com técnicas tradicionais que permitem criar um menu de degustação que nos transporta para as raízes e o receituário nacional. Tudo é definido ao pormenor, como a lenha que é escolhida pelos aromas num apelo às memórias, como o azinho que remete para as terras do norte de Portugal ou o sobro que nos faz viajar até à zona Centro ou ao Alentejo, presente em pratos como os de carne de porco.

A cozinha do FOGO está dividida em cinco secções – forno a lenha, potes de ferro, ‘robata’ (grelhador), padaria e pastelaria, e frios/fumeiro, com a promessa de aquecer os estômagos e dar conforto ao paladar.

Assumindo o seu fascínio pelo fogo, o chef Alexandre Silva, detentor de 1* Michelin no restaurante LOCO, em Lisboa, maturou esta ideia durante onze anos até que, em dezembro de 2019, conseguiu concretizar a abertura do restaurante FOGO, que embateu de imediato na pandemia. Com uma equipa de 24 pessoas e 60 lugares sentados, o espaço reabriu as portas em 2022, com os ânimos redobrados e preparado para receber os clientes com a chama mais acesa que nunca.

Além do menu de degustação, o restaurante FOGO vai manter a opção do menu à carta.

 

– O menu de degustação pode ser servido com ou sem pairing de vinho ou sugestões de cocktails sem álcool.

– Menu de degustação: 80 euros (sem pairing).

Informações úteis:

Morada: Av. Elias Garcia 57, 1000-114 Lisboa

Horário: Terça a Sábado das 12h30 às 16h00 e das 19h00 às 00h30

Reservas: Tel.: 21 797 00 52 ou E-mail: fogo.reservas@alexandresilva.pt

 

Sobre o chef Alexandre Silva:

Natural da aldeia de Abrigada, foi apenas aos 18 anos que Alexandre Silva optou pela área da gastronomia. Estudou Cozinha, Pastelaria e Gestão de F&B na Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa, e Gastronomia Molecular no Instituto Superior de Agronomia, e “estreou-se” como chef-executivo do restaurante Bocca, em Lisboa. Ganhou visibilidade junto do público no programa Top Chef, da RTP, que venceu em 2012, e lhe garantiu uma temporada no restaurante El Celler de Can Roca, em Espanha. Nesse mesmo ano, mudou-se para o Alentejo, onde foi chef-executivo do Alentejo Marmóris Hotel & Spa e estreitou contacto com produtores e novos produtos do campo.

Em 2013, regressa a Lisboa com o desafio de chefiar o restaurante Bica do Sapato, um dos mais conceituados da capital. Um ano mais tarde, decide criar a sua própria empresa. Inaugurou o espaço Alexandre Silva no Time Out Market e, em 2015, decidiu dar um passo importante: abrir o restaurante LOCO, um projecto ousado e criativo, com poucos lugares (24), que se assumia como um ‘fine-dining’ disruptivo. Aí, desenvolveu um projecto interno de I&D – Investigação e Desenvolvimento, experimentando novas técnicas, novos produtos e produzindo novas criações. Oito meses após a abertura do LOCO, conquistou a 1ª estrela Michelin, que conserva até hoje, seis anos volvidos. Pelo caminho, ganhou várias outras distinções, como o Garfo de Ouro do Guia Boa Cama Boa Mesa do jornal Expresso (2016), Garfo de Platina (2017) e Chef do Ano (2017), da mesma entidade.

Quando o Loco se tornou estável, sentiu ser o momento de conceber um novo projeto, o FOGO. O Fogo, que envolveu um investimento empresarial três vezes maior que o do Loco, com 60 lugares sentados, abriu portas em dezembro de 2019, escassos três meses antes de o mundo se fechar em casa. Dividido em cinco secções – forno a lenha, potes de ferro, ‘robata’ (grelhador), padaria e pastelaria, e frios /fumeiro, continua a surpreender o público.

Fonte: Chefsagency

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar