Contos arrepiantes da História de Portugal 5: República Reprimida

763 views

Da implantação da República até final dos anos de 1990, o último volume desta coleção tão divertida quanto rigorosa sobre a História de Portugal, escrita por dois professores, aproxima os mais novos dos principais acontecimentos políticos, sociais e culturais do século XX e da nossa história recente.

 

A 1.ª República, o Estado Novo, a Guerra Colonial, a queda da ditadura e a Revolução do 25 de Abril, e ainda o primeiro quarto de século vivido em democracia: eis a proposta do 5.º e último livro de uma série genial, que viaja pela História de Portugal, sem omitir as partes assustadoras. Uma coleção que cativa os mais jovens para a História e para a leitura, com fantásticas ilustrações ao estilo da banda desenhada. Um dos autores, o professor Rui Correia, foi vencedor do Global Teacher Prize Portugal.

 

O lançamento deste livro irá realizar-se na Livraria Parlamentar, na Assembleia da República, a 4 de outubro, pelas 18 horas, na véspera da celebração de mais um aniversário da Implantação da República. A sessão contará com a apresentação de Marco Neves, professor, investigador, tradutor e autor do blogue Certas Palavras.

 

SINOPSE
No Portugal do século XX viveu o último rei, nasceu a República, apareceu uma ditadura que durou 48 anos, houve uma guerra em África e morreu um Império. O velho Portugal que tivera colónias em três continentes ficou reduzido a este cantinho, onde as pessoas, depois do 25 de Abril, em 1974, passaram a ter direito a viver em democracia, o sistema que traz liberdade para dar opiniões e para escolher as pessoas que nos governam.  Neste livro, a História de Portugal ficou tão perto de nós que há ainda muitas pessoas que assistiram a estes acontecimentos. Há dores e há feridas nestes contos. Mas um grande país também se faz disso. Vamos saber o que custa a liberdade.

OS AUTORES

RUI CORREIA Olá. Adoro histórias. Não sei se gosto mais que mas contem ou de as contar eu. Sei montes delas. Se calhar é por isso que sou professor de História. Adoro ter as pessoas presas às minhas histórias. Conto sempre muitas nas minhas aulas. Umas fazem rir e outras fazem chorar. Mas creio que é para isso mesmo que as histórias servem. Para percebermos melhor quem somos. Há quem julgue que a História só serve para conhecer o passado. Eu não acho nada disso. Acho que, quanto mais sabemos de História, melhor percebemos tudo o que se passa hoje. É como crescer. Quando lemos estas histórias, percebemos que o mundo também teve uma infância. E que nem sempre foi feliz.

VENCEDOR GLOBAL TEACHER PRIZE PORTUGAL 2019

 ANTÓNIO F. NABAIS Viva! Entre outros problemas, sou professor de Português e de Latim. Um dos meus maiores desejos é viajar no tempo, porque sempre tive curiosidade de perceber o que pensavam e sentiam as pessoas de outras épocas. Até hoje, que se saiba, ainda só inventaram duas máquinas de viajar no tempo: a leitura e a escrita. Quando me convidaram para escrever este livro, pensava que já sabia muito; confirmei que afinal ainda tinha muito para aprender. O trabalho que tive para escrever este livro foi um prazer. Não fiquei a saber tudo sobre as pessoas que conheci, porque uma viagem não é suficiente para isso, mas havemos de lá voltar.

 

O ILUSTRADOR

 

HÉLIO FALCÃO Isto é uma nojeira! É o que vos digo. Cabeças cortadas, corações arrancados com as mãos, engenhocas militares, pestilência, traição… Como designer e ilustrador, não poderia recusar fazer parte de um livro com um argumento destes. Pior… ainda por cima foi real (pelo menos parte). Simples, polida ou mesmo limpa não são de facto palavras que possamos usar para retratar a História deste lugar soalheiro. Mas, se juntarmos engenho, perseverança, muita sorte e uma boa dose de humor, talvez tenhamos uma visão mais realista. Pode ser que com este livro consiga finalmente não baralhar os nomes dos nossos reis e rainhas.

 

Fonte: penguinrandomhouse.com

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

Se não pretender usar cookies, por favor altere as definições do seu browser.

Fechar